BANCADA DIRECTA: O blogue "Policiario de Bolso" torna-se cumplice das aventuras do alferes Sesinando navegando no lago do Jardim do Campo Grande e ia havendo um naufrágio 3º episodio da autoria de Antonio Raposo com o titulo "Fado do Zé Cacilheiro". Mas que grande paciencia a da proprietaria do blogue revelando a veia literaria do Raposinho.

terça-feira, 31 de maio de 2016

O blogue "Policiario de Bolso" torna-se cumplice das aventuras do alferes Sesinando navegando no lago do Jardim do Campo Grande e ia havendo um naufrágio 3º episodio da autoria de Antonio Raposo com o titulo "Fado do Zé Cacilheiro". Mas que grande paciencia a da proprietaria do blogue revelando a veia literaria do Raposinho.



3º EPISÓDIO
O RETIRO DO QUEBRA BILHAS de A. RAPOSO
Fado do Cacilheiro

 Um banco de jardim pode ser o começo de uma bela relação. O Alferes Sesinando esparramado no banco de tiras de madeira olhava embevecido Milú e seu canito Lanudo. Pelo canto do olho fazia-lhes o retrato. Media a cena e com voz melosa para boi dormir tentou uma aproximação já mais que vista, mas de resultados certos e garantidos.

Lago do Campo Grande. Anos 30. foto "postais de Portugal"

− Desculpe o meu atrevimento mas a menina Milú por acaso não mora no Bairro de Alvalade? É que a sua cara não me é estranha… − Não, enganou-se. Moro na Avenida de Roma, ali ao pé do Hospital dos Malucos, o Júlio de Matos. Conhece? − Mesmo agora passei por lá, vim a pé desde o Martim Moniz, para ver como Lisboa já mudou neste 3 anos que estive fora na guerra em Angola.

É uma zona muito chique! − Lá isso é verdade! Só mora ali gente boa e simpática. Eu vivo com um construtor civil, um homem já de uma certa idade e que anda sempre por fora. Agora está em Cabo Verde a construir um “resort” de luxo. Só cá vem de dois em dois meses. Eu tenho a companhia do Lanudo. Vivo muito só! − Está como eu. Não se queixe. A vida é assim. Mas agora me lembrei…eu ainda não me apresentei. Sou o Alferes Sesinando. Cheguei ontem no navio Niassa. Ando a ver se localizo o Retiro do Quebra Bilhas. Disseram-me que fazem lá umas iscas como não há outro restaurante em Lisboa. A menina conhece?
Retiro do Quebra Bilhas. Estado actual das instalações. foto de Onaírda

− Se conheço o Quebra Bilhas? Conheço lá eu outra coisa! Até já lá cantei!... − Não me diga. Então está já convidada para lá irmos almoçar. Mas ainda é tão cedo, a menina já andou aqui no lago nos barquinhos? É aqui tão perto. Mesmo ao lado. Podíamos dar ali um passeio. Eu remava e a menina pegava no Lanudo − Nem pensar. Tenho um medo do mar e depois nem sei nadar… − Lá por isso não seja obstáculo.

Acontece que o lago tem água mas dá-lhe pelos joelhos, ninguém lá morreu afogada. −Ah. Julgava que fosse mais fundo. Nunca lá fui. Barco para mim só o cacilheiro. Lisboa – Cova do Vapor. Praia. Sol. Calor. Verão. − Bem então vamos dar uma voltinha e eu canto-lhe o Fado do Cacilheiro enquanto remo. Era romântico não acha? Milú pensou um pouco e depois cedeu. Estava danadinha para dar uma voltinha acompanhada do simpático Alferes.

Depois, ele cheirava tão bem. Ou seriam as flores do jardim? Ali ao lado havia um roseiral. O encarregado dos botes indicou um azul celeste e lá entrou o alferes que deu a mão à Milú que apertava assustada o Lanzudo contra o peito. Com duas remadas fortes do alferes o bote seguiu o seu caminho e Milú sorriu encantada. Nunca fora no bote. Era a primeira vez!
Hospital Julio de Matos. Avenida do Brasil, paredes meias com o Campo Grande

E estava a gostar. Sesinando começou a trautear o velho fado do Cacilheiro. Um êxito revisteiro. O céu estava azul e fazia calor. A primavera já ia longe e o mês de Junho começava a aquecer o ambiente. Milú encantada deu folga à trela e o Lanzudo vendo o espelho de água enervou-se. Começou a rabiar e saltou para a água. Milú tentou apanhá-lo e desequilibrou o barco que perigosamente balançou.

O Alferes Sesinando tentou agarrar a Milú e o barco balançou ainda mais bruscamente. Em dois segundos todos estavam a boiar no lago. Era o fim da picada! (fim do 3º episódio)

Detective Jeremias
Proprietaria do blogue Policiario de Bolso
Estofo de campeã
Até na paciencia.
Santarém é o seu burgo

2 comentários:

Anónimo disse...

Acho que isto vai dar um grande banho e obrigatória mudança de roupa....Promete...

Adriano Ribeiro disse...

Anonimo que navega em promessas mas pouco mais diz.
No entanto agradecemos que nos tenha lido
Adriano Rui Ribeiro

Obrigado Pela Sua Visita !