BANCADA DIRECTA: Mundo Policiario 12. Historias de policias e ladrões e outros incidentes afins a cargo de Antonio Raposo e sob a asa protectora da Detective Jeremias que o acolheu no seu "Policiário de Bolso". Publicamos hoje o 12º e ultimo episódio. O Cabo Jeremias mostra o seu final romantico.

quinta-feira, 7 de abril de 2016

Mundo Policiario 12. Historias de policias e ladrões e outros incidentes afins a cargo de Antonio Raposo e sob a asa protectora da Detective Jeremias que o acolheu no seu "Policiário de Bolso". Publicamos hoje o 12º e ultimo episódio. O Cabo Jeremias mostra o seu final romantico.


Cabo Jeremias. Chefe da Esquadra da PSP do Alto do Pina. 12º e ultimo episódio da saga escrita pelo jovem Antonio Raposo

O final

Nota introdutoria deste blogue Bancada Directa

Esclarecimento. 
Diz a autora da missiva atribuida à Direção do Lar do Sagrado Coração de Jesus da Nazaré, a linhas tantas que o historiador Antonio Raposo recolheu informações para documentar a sua escrita da saga do Cabo Jeremias. A nós só nos cabe informar que o historiador em causa nunca recolheu informações algumas, pois ele viveu na realidade e acompanhou as situações descritas nos seus episodios. Em tempos descortinei numa praia algarvia o jovem Raposo em tronco nu e constatei que o dito tinha bem vincado nas costas dois vergões significativos advindos da sua juventude e que eram marcas resultantes do chanfalho do Cabo Jeremias. Mas foram amigos sempre e conviviam amiude na tasca da Cova Funda no principio da Rua Barão de Sabrosa ao lado da padaria


 Da direção do Lar do Sagrado Coração de Jesus da Nazaré recebemos uma carta de um seu utente acabado de falecer, com a indicação de ser dirigida, após a sua morte, ao blogue Policiário de Bolso.

Eis o texto: Encontro-me só no mundo e sem ninguém. A minha saúde está por um fio pois a idade não perdoa e já vou perto da centena de anos. Tenho vindo a seguir com interesse e recordando com saudade os diferentes episódios contados pelo historiador A. Raposo de forma escorreita e verdadeira.

Para ele os meus respeitos. O homem sabe do que fala e sei que recolheu informações de forma a contar as histórias tal qual elas se passaram. Acontece que guardei religiosamente segredo de um facto que aconteceu por alturas em que fui mais a viúva Teresinha apanhado em flagrante pelo Raul das Solas e Cabedais.

Nessa altura e uma vez que fui ameaçado pela sovela do Raúl, saí de rabinho entre as pernas e salvei as minhas vergonhas da degola e a viúva do falatório. 

O caso acabou em bem e o Raul ficou satisfeito e acabou no mês seguinte por casar com a Teresinha. Eu na altura vivia com a minha mulher e não podia fazer ondas…

Porém, eu sabia que ela já estava a faltar-lhe as regras há 1 mês e o casamento veio a tempo de salvar o escândalo.

 Acontece que a filha da Teresinha (que emigrou depois para a Austrália e de quem nunca mais soube nada) era afinal minha filha e tu Ana Teresa és minha neta.

 Que Deus te proteja. Afinal a geração do cabo Jeremias não acabou – não tivemos filhos com a minha já falecida esposa e como prova do meu amor deixo-te em testamento o prédio onde estou a gozar os últimos dias da minha existência.

Assina: Cabo Jeremias


O autor da saga do Cabo Jeremias

Antonio Raposo (algarvio de gema, mas criado desde tenra idade no Bairro do Alto do Pina nesta cidade de Lisboa)

Sem comentários:

Obrigado Pela Sua Visita !