BANCADA DIRECTA: Mundo Policiario 6. Historias de policias e ladrões e outros incidentes afins a cargo de Antonio Raposo e sob a asa protectora da Detective Jeremias que o acolheu no seu "Policiário de Bolso". Publicamos hoje o 6º episódio " O cabo Jeremias era um poeta"

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Mundo Policiario 6. Historias de policias e ladrões e outros incidentes afins a cargo de Antonio Raposo e sob a asa protectora da Detective Jeremias que o acolheu no seu "Policiário de Bolso". Publicamos hoje o 6º episódio " O cabo Jeremias era um poeta"

Mundo Policiario  6. Historias de policias e ladrões e outros incidentes afins a cargo de Antonio Raposo e sob a asa protectora da Detective Jeremias que o acolheu no seu "Policiário de Bolso". Publicamos hoje o 6º episódio " O cabo Jeremias era um poeta"

6º EPISÓDIO

O CABO JEREMIAS ERA UM POETA

Na esquadra, nas horas mortas ouviam muito frequentemente um assobio. O cabo Jeremias imitava o rouxinol e a toutinegra. Tentara durante longas horas o canário mas não tinha pé para tamanho chinelo.

A vizinha Rosalina − uma rapariga que olhava muito para as fardas e sonhava de alto, ficava embevecida ao ouvir o cabo Jeremias a assobiar imitando o rouxinol. Tanto assim que ela quando o via dizia para si baixinho: 

“Ai rouxinol, rouxinol, 
de bico doirado, 
se te apanho um dia, 
chamo-te um rebuçado!”

É claro que o cabo Jeremias não se apercebia dos corações que despedaçava. Porém, conforme um dia afirmou o guarda-nocturno da área, que todos os dias tinha que ir à esquadra assinar o ponto: “O cabo Jeremias, para além do mais, é um erudito poeta espontâneo, tipo António Aleixo, mas para melhor.

Um dia sem ninguém estar à espera saiu-se com uma que nunca mais me esqueceu a profundidade, ora ouçam:

São as fezes que nos salvam
Nos momentos de aflição
Por isso acredito em Deus
Dia sim e dia não!

 O Aleixo não faria melhor. E o Pessoa nem à cartucheira lhe chegava. E o que ele gostava da Florbela Espanca. Não sei se conhecem esta poetisa. Penso que ele gostava mais pelo nome. O nome Espanca dizia-lhe qualquer coisa.

O que seria? Mistério.

A. Raposo




O autor




Publicado no blogue Policiário de Bolso

Sem comentários:

Obrigado Pela Sua Visita !