BANCADA DIRECTA: Vinde, vinde, oh crianças da minha terra...Nesta altura podem contar comigo...Até aqui nunca tinha passado cartão aos jovens lampiões que precisavam do meu apoio. Mas agora vou reverter a situação, não vá o tipo fazer comigo o que fez ao Marco...

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Vinde, vinde, oh crianças da minha terra...Nesta altura podem contar comigo...Até aqui nunca tinha passado cartão aos jovens lampiões que precisavam do meu apoio. Mas agora vou reverter a situação, não vá o tipo fazer comigo o que fez ao Marco...

Vinde, vinde até mim, oh crianças da minha terra...Nesta altura podem contar comigo...Até aqui nunca tinha passado cartão aos jovens lampiões que precisavam do meu apoio. Mas agora vou reverter a situação, não vá o tipo fazer comigo o que fez ao Marco...

Como se pode ver a preferência e aposta de Jesus nos Jovens não é de agora, da fase que inicia com o regresso à sua casa que também era a do Virgolino, Jesus já dizia para irem a ele as criancinhas desde há cerca de 2000. anos. A promessa está feita, ao contrário do que sucedeu com os putos do Seixal os meninos de Alcochete entrarão no Reino dos Céus da equipa principal.

«Então lhe trouxeram alguns meninos, para que lhes impusesse as mãos e orasse por eles; e os discípulos repreenderam aos que os trouxeram. Jesus, porém, disse: Deixai os meninos, e não os impeçais de virem a mim; porque dos tais é o reino dos céus.» (Mateus 19:13-14) . Evangelho segundo São Mateus
«Naquela hora chegaram-se os discípulos a Jesus e perguntaram: Quem é, porventura, o maior no reino dos céus? Jesus, chamando para junto de si um menino, pô-lo no meio deles e disse: Em verdade vos digo que se não vos converterdes e não vos fizerdes como meninos, de modo algum entrareis no reino dos céus. Quem, pois, se tornar humilde como este menino, esse será o maior no reino dos céus. 

Aquele que receber um menino, tal como este, em meu nome, a mim é que recebe; mas quem puser uma pedra de tropeço no caminho de um destes pequeninos que crêem em mim, melhor seria que se lhe pendurasse ao pescoço uma grande pedra de moinho, e que fosse lançado no fundo do mar.» (Mateus 18:1-6)  Evangelho segundo São Mateus

Que sejas muito feliz na tua nova casa. Tu até nem tens muita culpa dos dislates do teu novo patrão.

Sem comentários:

Obrigado Pela Sua Visita !