BANCADA DIRECTA: Estamos em tempo de férias. Mas a vida não pára e o saber não ocupa lugar.Vamos falar do órgão mais importante do nosso corpo: o coração. Temos de o conhecer muito bem e perceber as suas funções, nomeadamente no seu bater constante, que a haver falhas pode custar-nos a vida. São os "Temas de Medicina" no Bancada Directa

domingo, 12 de julho de 2015

Estamos em tempo de férias. Mas a vida não pára e o saber não ocupa lugar.Vamos falar do órgão mais importante do nosso corpo: o coração. Temos de o conhecer muito bem e perceber as suas funções, nomeadamente no seu bater constante, que a haver falhas pode custar-nos a vida. São os "Temas de Medicina" no Bancada Directa


Estamos em tempo de férias.
Mas a vida não pára e o saber não ocupa lugar.
Vamos falar do órgão mais importante do nosso corpo: o coração.
Temos de o conhecer muito bem e perceber as suas funções, nomeadamente no seu bater constante, que a haver falhas pode custar-nos a vida.
São os "Temas de Medicina" no Bancada Directa


Conhece bem o seu coração?
Então tente perceber o que o faz bater pode-lhe a vida!

Quando se trata de nomear o órgão mais importante do corpo humano, o cérebro e o coração rivalizam. Mas hoje neste post vamos falar do coração.

Sabe como funciona o seu coração? Como uma bomba que envia o sangue oxigenado para todo o organismo e reencaminha esse mesmo sangue, já venoso, para os pulmões, onde é purificado e volta depois a circular

Para cumprir essa função, o coração é movido por impulsos eléctricos - são eles os responsáveis pelos batimentos cardíacos: 70 a 80 por minuto, até um máximo de 140 a 150 em situações de esforço intenso ou de pânico.

Por dia, por ele passam em média, 7500 litros de sangue que circulam por 100 mil quilómetros de vasos sanguíneos. Tudo isto é da responsabilidade de um órgão um pouco maior do que um punho humano, que na mulher pesa 210 a 300 gramas e no homem chega aos 400 gramas

Uma questão de estilo de vida.

Apesar de os assuntos do coração nos tocarem a todos, é verdade é que nem sempre cuidamos dele como merece. O estilo de vida actual, que nos empurra para hábitos menos saudáveis, faz com que corramos alguns riscos que, no limite, constituem uma ameaça à saúde do coração e, portanto, à nossa vida.

Abrimos, pois, caminhos a doenças cardiovasculares -  são assim chamadas porque envolvem o coração, mas também todo o sistema de artérias e veias. São doenças que têm em comum a acumulação de gorduras nas paredes dos vasos sanguíneos, uma acumulação progressiva, mas que vai erguendo sucessivos obstáculos à circulação do sangue, logo dificultando a oxigenação dos demais órgãos e tecidos do organismo

Evoluem lenta e silenciosamente o que significa que é preciso estar muito atento aos sintomas, de modo a procurar tratamento o mais rapidamente possível

Os sinais que não dever ser ignorados
a) Dificuldade em respirar
b) Sensação de aperto e dor no peito
c) Alterações ao ritmo cardíaco - mais lento ou mais acelerado
d) Dor, dormência ou formigueiro nos braços ou nas pernas
e) Náuseas e fadiga extrema

Estes sinais são um alerta para doenças como: 
1- Insuficiencia cardíaca. 
Ocorre quando a quantidade de sangue que o coração bombeia por minuto é insuficiente para satisfazer as necessidades do organismo em oxigénio
2- Enfarte agudo do miocárdio
Designado vulgarmente por ataque cardíaco pela interrupção súbita do afluxo de sangue ao coração, o que causa destruição do músculo que o reveste (miocárdio) por falta de oxigénio
3- Acidente vascular cerebral. AVC
Acontece devido a uma descida abrupta do fluxo sanguíneo que irriga o cérebro e é causado por um bloqueio ou rompimento de um vaso sanguíneo do cérebro, o que por sua vez, leva à falta de oxigenação do cérebro e à morte das células.
Há riscos e riscos
As doenças cardiovasculares constituem a principal causa de morte em Portugal, sendo responsáveis por 40% dos óbitos. Isto porque constituem doenças associadas a um estilo de vida pouco saudável, o qual é partilhado por homens e mulheres

E, de facto, os principais factores de risco andam de mãos dadas com um estilo de vida em que pontuam:

a) Uma alimentação desequilibrada, com excesso de gorduras, de açúcar e de sal. São elementos que contribuem para elevados níveis de colesterol e de triglicéridos (dislipidemias), glicémia (diabetes) e de pressão arterial (hipertensão)
b) Uma vida muito sedentária sem prática regular de actividade física
c) Tabagismo - os fumadores têm maior risco de enfarte do miocárdio
d) Excesso de peso - a gordura acumulada sobrecarrega o coração e os vasos sanguíneos
e) Stress - se intenso e prolongado pode causar perturbações  ao ritmo cardíaco.

No entanto há outros factores de risco que são de natureza diferente
1) Idade - a probabilidade de uma doença cardiovascular aumenta com o avançar dos anos
2) Género - estas doenças são mais frequentes nos homens mas estão a crescer entre as mulheres, em particular depois da menopausa e devido à associação com o tabagismo
3) Hereditariedade - há maior propensão para a doença se houver antecedentes familiares, sobretudo numa idade precoce.
O que é importante saber é que as doenças cardiovasculares se previnem. E que esta prevenção está ao alcance de todos, passando pela alteração de estilos de vida. Pela saúde do seu coração e não só.

Amanhã publicaremos as dicas em pormenor mais salientes de que como devem cuidar do seu coração.

Fonte deste texto: PH (Maio e Junho de 2015)


Agradecimento ao nosso clínico de apoio pela sua sensibilidade a estas doenças e pela sua preocupação para que todos se sintam de saúde perfeita. Muito obrigado

Sem comentários:

Obrigado Pela Sua Visita !