BANCADA DIRECTA: Quando Cavaco começa a falar para fora e e se esquece daquilo que fez....Resquícios de uma visita ao Alto Douro

terça-feira, 2 de junho de 2015

Quando Cavaco começa a falar para fora e e se esquece daquilo que fez....Resquícios de uma visita ao Alto Douro


Lições do Douro Vinhateiro

"É um outro espírito, crença e vontade de vencer, um optimismo perante o futuro e a convicção de que com trabalho podem ultrapassar as dificuldades.

Não encontrei aqui o discurso da desgraça, do miserabilismo, da descrença que encontramos com frequência nos agentes políticos em Lisboa ou na comunicação social", disse. "Gostaria de convidar os políticos e os líderes sindicais que se fixam apenas nos corredores e gabinetes de Lisboa a virem aqui ao norte, eixo do Douro Vinhateiro, a contactar com as pessoas e os autarcas.

Estou convencido que voltariam mais abertos a trabalhar em conjunto, à cultura do compromisso e diálogo para resolver os problemas do país: voltariam menos crispados e até menos violentos na linguagem, porque qualquer um, quando vem aqui, enche a alma, porque o espírito é diferente", referiu.

Diz que é uma espécie de Presidente da República
Cavaco apela à cultura do compromisso lançando ataques rancorosos contra terceiros não identificados que trabalham em Lisboa e que terão o hábito de se queixarem e fazerem reclamações, aproveitando estar a passeio pelo Norte.

E ninguém reage, a elite nacional finge que não tomou conhecimento. Cavaco, o tal que fez o que pôde para difamar e caluniar um Governo em funções, e que até fez o que não podia ter feito sem ser logo destituído calhando viver num regime que prezasse o Estado de direito.

Cavaco, o tal que insultou os restantes candidatos presidenciais no revanchismo da vitória. Cavaco, o tal que foi para a Assembleia da República apelar à revolta contra os políticos. Cavaco, o tal que ficou impávido e feliz a ver o País ser empurrado para o resgate e para o empobrecimento fanático e desmiolado.

Sem comentários:

Obrigado Pela Sua Visita !