BANCADA DIRECTA: Hepatite C. Afinal o Governo andava a escamotear a solução para esta doença e depois resolveu-se a mesma após uma intervenção emocionada de um cidadão no Parlamento. O jornalista Fernando Correia diz de sua justiça e afirma “que afinal era possível”!

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Hepatite C. Afinal o Governo andava a escamotear a solução para esta doença e depois resolveu-se a mesma após uma intervenção emocionada de um cidadão no Parlamento. O jornalista Fernando Correia diz de sua justiça e afirma “que afinal era possível”!


Hepatite C. 
Afinal o Governo andava a escamotear a solução para esta doença e depois resolveu-se a mesma após uma intervenção emocionada de um cidadão no Parlamento. 
O jornalista Fernando Correia diz de sua justiça e afirma “que afinal era possível”! 

Afinal havia cura

Artigo de opinião do jornalista Fernando Correia 

 A hepatite C tem cura.Foi descoberto um medicamento que em 95% dos casos resulta na cura do doente, o que significa um avanço notável da ciência relativamente a um dos grandes flagelos actuais. De tal modo que já se diz ter sido esta uma das maiores descobertas de sempre. 

 Em Espanha o mesmo medicamento já é utilizado com êxito há mais de três meses, tendo o Governo daquele país chegado a um acordo com o laboratório que detém a patente e a exclusividade da comercialização do produto, no sentido de baixar o preço exorbitante do tratamento (48 mil euros), transformando-o em algo mais acessível, pelo menos para o Estado. 


 Em Portugal as mortes por hepatite C continuaram a verificar-se a um ritmo demolidor, sem que o nosso Governo tomasse qualquer medida, apoiada numa acção de bom senso e de lógica de tratamento, como se impunha e era expectável. 


Foi preciso um doente com hepatite C confrontar em pleno Parlamento o ministro da saúde para o seu caso, pedindo-lhe que não o deixasse morrer, para em menos de 24 horas ser possível anunciar ao País, sem pompa mas com circunstancia, que o Governo já tinha estabelecido um acordo com o laboratório americano, a fim de baixar o preço de forma a permitir que mais de cem mil doentes fossem imediatamente tratados. 

O que quer isto dizer afinal? 
Obviamente que ao Governo não assistiu qualquer tipo de vontade politica ou social para resolver este problema gravíssimo mais cedo, sendo necessária a sua exposição publica para que a medida fosse tomada No mínimo é exigível que este ministro seja demitido ou ele se demita de sua livre vontade. 

 Em alternativa é exigível que o Governo explique ao Povo a razão que o levou a esperar tanto tempo para começar a salvar a vida de muitas pessoas, porque a vida humana não tem preço! 


 Talvez a resposta seja conhecida, sendo simples: se ninguém se tivesse queixado; se aquele doente não tivesse interpelado o ministro; se as  Televisões não tivessem mostrado tudo em directo, parece claro que nada teria sido efeito. 


 Pobre País este que é tão maltratado


Fernando Correia escreve regularmente no "Jornal Daqui" do Concelho de Mafra

Apresentamos a este nosso amigo os nossos cumprimentos.

Sem comentários:

Obrigado Pela Sua Visita !