BANCADA DIRECTA: Temas de Medicina no Bancada Directa. Continuamos a falar neste tempo de Inverno de gripes e dos cuidados a ter com a doença. Post adicional ao anterior sobre o mesmo tema de saúde.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Temas de Medicina no Bancada Directa. Continuamos a falar neste tempo de Inverno de gripes e dos cuidados a ter com a doença. Post adicional ao anterior sobre o mesmo tema de saúde.

Temas de Medicina no Bancada Directa.
Continuamos a falar neste tempo de Inverno de gripes e dos cuidados a ter com a doença.
Post adicional ao anterior sobre o mesmo tema da saúde.

No post anterior tínhamos ficado por aqui…. E agora continuamos
Vacinação é preciso!
Em relação à gripe, como em qualquer outra doença, a prevenção é o melhor reméddio. O que passa pela adopção de cuidados simples, mas também pela vacinação De prescrição médica obrigatória a vacina antigripal tem uma elevada taxa de eficácia: na maioria dos casos evita a doença ou, pelo menos, reduz a intensidade dos sintomas

A quem é recomendada a vacina antigripal?
Qualquer pessoa se pode vacinar, mas há grupos aos quais a vacina é mais recomendada: é assim com os idosos, sobretudo se vivem em lares e com os doentes crónicos ou outras pessoas cujo sistema imunitário esteja debilitado. Aos profissionais de saúde, pelo contacto com os doentes, também é aconselhada. A única contraindicação são pessoa alérgicas à proteína do ovo, pois é um dos constituintes da vacina, feita a partir do vírus “influenza” inactivado.

Idealmente, é antes da época gripal que a vacina deve ser tomada, ou seja, em Setembro ou Outubro. É que os anticorpos recebidos precisam de duas semanas para, digamos assim, se prepararem para combater a infecção. A vacina é gratuita para quem tem mais de 65 anos de idade e não requer receita médica, podendo ser administrada no Centro de Saúde.

A vacina deve ser repetida no ano seguinte, pois a imunidadde só se mantém por nove a doze meses, dada a elevada mutação do vírus
Um risco muito importante: o perigo de se apanhar uma pneumonia
A pneumonia é uma infecção respiratória como a constipação ou a gripe, mas tanto pode ser causada por um vírus como por bactérias e mais raramente por fungos.
O que acontece é que em situações em que o organismo se encontra debilbitado, os agentes infecciosos conseguem passar os filtros naturais do corpo, como os cilios nasais, abrindo caminho até aos pulmões. Aqui instalam-se nos alvéolos pulmonares, que são como que uns pequenos sacos de ar e onde são alvo da acção dos glóbulos brancos do sangue

Mas nem sempre esta defesa é eficaz, desencandeando-se então os primeiros sintomas de infecção.
São sintomas que a pneumonia partilha com a gripe, mas que são mais graves: febre elevada, suores, arrepios e tosse, acompanhados de fadiga, dores musculares e de cabeça. Mas à medida que a infecção avança juntam-se outros sintomas, como a produção de muco, a dificuldade respiratóeria e a dor no peito. Os primeiros sinais de doença podem confundir-se com os da constipação e da gripe.
Se persistirem há que necessariamente consultar-se um médico. Se não for tratada a tempo, a pneumonia pode complicar-se: a infecção pode, por exemplo, alastrar para a corrente sanguinea e generalizar-se O tratamento depende da causa da pneumonia: quando é viral, envolve a toma de medicamentos antivíricos e cuidados como repouso e ingestão abundante de liquidos; se for fungica, passa pela toma de antifungicos e só se tiver origem bacteriana é que implica a toma de antibioticos.

Trata-se geralmente em casa e apenas nos casos de compromisso de dificuldade respiratoria é que requer internamento hospitalar. O melhor é sempre prevenir, zelando pela saúde dos seus pulmões

Sem comentários:

Obrigado Pela Sua Visita !