BANCADA DIRECTA: Temas de Medicina no Bancada Directa. Já falámos das constipações e hoje vamos falar de “gripe”. Repetimos que os nossos leitores têm de saber comparar uma constipação de uma gripe

domingo, 14 de dezembro de 2014

Temas de Medicina no Bancada Directa. Já falámos das constipações e hoje vamos falar de “gripe”. Repetimos que os nossos leitores têm de saber comparar uma constipação de uma gripe

Temas de Medicina no Bancada Directa.
Já falámos das constipações e hoje vamos falar de “gripe”.
Repetimos que os nossos leitores têm de saber comparar uma constipação de uma gripe
 
Escreve a Drª Maria Rita Silva
O que é uma gripe?
É uma doença respiratória aguda e, tal como a constipação. Mas é causada por um único vírus, o “influenza”, de que são conhecidos três tipos: A, de aparencia semelhente a um pequeno ouriço, este é um vírus com caracteristicas muito próprias, que se distingue logo pela elevada facilidade de contágio e pelo curto período de incubação, o que explica a disseminação rápida da doença.

É, além do mais, un vírus muito versátil, com uma grande capacidade de mutação, o que significa que todos os anos se apresenta com uma face diferente – as estirpes -, o que torna dificil saber sob que forma se apresentará a cada Inverno. É possível, no entanto, acompanhar a evolução da infecção, pois o vírus começa a manifestar-se na região asiática, após o que se estende a outras zonas geográficas

À medida que se aproxima da Europa e, em concreto, de Portugal, já se sabe qual foi o seu comportamento, pelo que é possível adoptar as necessárias medidas preventivas, nomeadamente adaptando a composição da vacina antigripal
O vírus da gripe e a sua influencia
É pelo ar que o “influenza” se transporta e através do qual alcança o corpo humano. A sua elevada capacidade de diseminação acaba por não deixar ninguém a salvo, além de que consegue sobreviver 24 horas fora de um organismo vivo, o que acentua o seu grau de contágio. Assim basta uma pessoa com gripe para a doença se multiplicar rapidamente

E basta que essa pessoa fale, tussa ou espirre para libertar partículas infectadas que facilmente penetram noutro organismo, contagiando-o. Significa isto que não é preciso que haja contacto fisico directo, sendo suficiente alguma proximidade.
Sintomas da gripe
Uma vez instalado, o “influenza” não precisa apenas de dois dias de incubação para que os sintomas se comecem a declarar. Mas antes disso, já há risco de contágio: esse risco ocorre um a dois dias antes da incubação e cinco após o inicio dos sintomas, sendo ligeiramente maior – na ordem de uma semana – para os organismos mais frageis, como os das crianças e dos doentes imunodeprimidoss. E que sintomas são esses?

Alguns, já se disse, são partilhados com a constipação, mas há outros que são especificos da gripe. Assim, a gripe começa por manifestar-se por um subito mal-estar, febres altas, dores musculares e articulares, tosse, arrepios e dores de cabeça. Inflamação nos olhos também é comum. Nas crianças, o quadro muda um pouco: são frequentes a prostação e a falta de apetite, bem como náuseas, vómitos, diarreia e dores abdominais: a febre tende a ser mais elevada (acima dos 38.5º)e, nas mais pequenas, a gripe pode complicar-se com uma otite média
Doentes mais frageis
É no Outono que começa a chamada época gripal, mas é no Inverno que o virús está mais activo, cominfecção a atingir o pico em Portugal entre os meses de Dezezmbro e Março. Isto não significa que não possam surgir casos ao longo do ano, mas, ao contrário da constipação, são esporádicos

Há uma explicação para a maior prevalencia no Inverno: é que as baixas temperaturas e radiação ultra violeta residual constituem o ambiente ideal para o vírus sobreviver o tempo suficiente para ser transmitido de uma pessoa doente para uma pessoa saudavel. Além do mais, nestes meses, precisamente devido à meteorologia, as pessoas passam mais tempo em espaços fechados, o que propicia o contágio

Qualquer pessoa pode ser infectada. Mas há organismos mais frageis, nos quais a gripe, apesar de ser uma doença benigna, pode ter consequencias mais graves: é o caso das crianças, dos idosos, dos doentes crónicos, nomeadamente com patologias cardio vasculares e pulmonares (asma e bronquite crónica, por exemplo), com diabetes ou insuficiencia renal. É também o caso de pessoas imunodeprimidas, isto é, em que o sistema de defesas do organismo está debilitado, como acontece com os doentes com sida ou oncológicos
Como tratar a gripe?
São os sintomas que permitem o diagnóstico de gripe e é aos sintomas que é dirigido o tratamento. Faz-se recorrendo a medicamentos para baixar a febre e aliviar as dores, mas nunca antibióticos, pois estes apenas são eficazes contra doenças provocadas por bactérias.

A recuperação beneficia igualmente de medidas de autocuidado como repouso, ingestão de liquidos, entre outros. Há sityuações que requerem maior atenção, nomeadamente no caso de mulheres grávidas ou a amamentar e tabém quando, ao fim de quatro dias de cuidados a febre não cede. Os sintomas, pois há o risco de evoluirem para um quadro mais sério, como bronquite ou mesmo pneumonia

Sem comentários:

Obrigado Pela Sua Visita !