BANCADA DIRECTA: Mas como é que isto é possível? Uma actriz brasileira teve acesso à cabine de condução de um comboio Alfa Pendular e conduziu-o a 220 Kms/hora

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Mas como é que isto é possível? Uma actriz brasileira teve acesso à cabine de condução de um comboio Alfa Pendular e conduziu-o a 220 Kms/hora



Vídeo com suposta passageira a conduzir Alfa Pendular leva a investigações

"Olha eu, no comando do Alfa a 220 (quilómetros) por hora... uau", diz a passageira, supostamente a modelo e atriz brasileira Halima Abboud, num vídeo divulgado na Internet e que levou a CP a pedir às autoridades para investigarem o caso.

Um vídeo que se tornou viral nas redes sociais e que, supostamente, mostra a modelo e atriz brasileira Halima Aboud a conduzir um Alfa Pendular a caminho do Porto, levou a CP anunciar esta segunda-feira que pediu às autoridades para investigarem a situação. "Estou dirigindo o Alfa... uau... Olha eu, no comando do Alfa a 220 (quilómetros) por hora... uau (...) Estou a caminho do Porto", afirma a passageira, rindo-se, enquanto faz o comboio apitar.

O vídeo de cerca de dois minutos de duração foi colocado no YouTube a 2 de dezembro de 2011, mas só agora se tornou viral, tendo sido publicado esta segunda-feira na página do Facebook atribuída a Halima Abboud, juntamente com comentários de incredulidade perante as repercussões do mesmo. Abboud participou no filme português de 2007 "Call Girl".

A CP indicou haver dificuldades na "confirmação da veracidade" das imagens, que terão sido gravadas através de um telemóvel, assim como na "identificação do comboio específico, data e viagem em que tal situação poderá, eventualmente, ter ocorrido".

O que levou a empresa a "reportar a situação às autoridades competentes para que sejam conduzidas as necessárias averiguações", nomeadamente para confirmar a situação e identificar as circunstâncias e as pessoas envolvidas.

Entrada nas cabinas de condução não autorizada

"Após as devidas averiguações, não deixará de retirar as devidas consequências dos factos apurados", garante a empresa numa resposta escrita à agência Lusa, na qual adianta ter conhecido, ao final da tarde de segunda-feira, as imagens que "parecem apontar para a presença de um elemento estranho à empresa na cabine de condução de um comboio Alfa Pendular, aos comandos da composição".

A empresa lembra a existência de regulamentos internos que proíbem a "presença de elementos estranhos à tripulação dos comboios em cabinas de condução, exceto se devidamente autorizados". "O acesso e permanência às cabinas de condução só é permitido mediante apresentação de documentação específica para o efeito.

O não cumprimento destas determinações constitui infração passível de consequências disciplinares graves ou outras de contornos diferentes, que venham a revelar-se adequadas aos factos apurados", precisou a CP.

Sem comentários:

Obrigado Pela Sua Visita !