BANCADA DIRECTA: A minha crónica de Fim-de-semana. O regresso a casa. Regressar ou não de Roquetas de Mar. Como uma compra de chirimoyas (anonas) serviu de justificação para a verdade……

sábado, 29 de novembro de 2014

A minha crónica de Fim-de-semana. O regresso a casa. Regressar ou não de Roquetas de Mar. Como uma compra de chirimoyas (anonas) serviu de justificação para a verdade……

A minha crónica de Fim-de-semana.
O regresso a casa.
Regressar ou não de Roquetas de Mar.
Como uma compra de chirimoyas (anonas) serviu de justificação para a verdade……

Claro que cada um tem os seus hábitos e gosta sempre de os manter. Quando regresso de Roquetas de Mar em direcção a Portugal sirvo-me da Autovia A92 e depois de apanhar perto de Sevilla a Autovia A66 passo o cruzamento para Portugal em Venta del Alto e vou à localidade de Santa Olalla adquirir uns medicamentos na Farmacia Carrasco a que eu já estou habituado. Adquiro medicamentos (alguns especificos) na base de metade do preço daqueles iguais à venda em Portugal.
Depois ainda vou mais para norte e vou almoçar numa ”via de servicios” onde existe um restaurante no complejo LEO. Que fica junto da Autovia. E é lá no posto de combustiveis que atesto o depósito da minha viatura para a etapa até Lisboa.

Claro que dista para lá cerca de 30 quilometros do cruzamento para Portugal, mas depois do almoço regresso pelo mesmo caminho mas em vez de ir até Venta del Alto saio na saida 745 em Santa Olalla del Cala que tem “carretera” excelente que segue para Higuera e Aracena

Gosto de almoçar no restaurante do complexo LEO porque é um sitio com uma vida extraordinaria. E os menus são excelentes e baratos. E no bazar há recuerdos com preços muito acessíveis.

Saio da “via de servicios” e, ainda na "rotonda", sou mandado parar pelas autoridades. Pedem-me os documentos pessoais e da viatura. Perguntam-me de onde venho e para onde me dirijo
Como viajava sozinho e como não trazia malas ou embrulhos à vista achei a pergunta normal.
  -Venho de Roquetas de Mar e vou para Lisboa! O agente que me interrogava franziu o sobrolho e disparou
-Así usted desde el norte, tal vez de Mérida, y me dice que viene de Roquetas de Mar?
Expliquei-lhe , então, o desvio que tinha feito em Venta del Alto, que em vez de seguir para Portugal tinha seguido em frente até à zona de Monasterio para almoçar no complejo LEO e agora fazia a viagem de regresso para chegar ao cruzamento para Portugal. Tinha-me desviado uns 32 quilometros.
- Me refiero a 64 porque va a volver al mismo sitio.
-Não, porque aí mais à frente há uma estrada em Santa Olalla del Cala que encurta caminho , passa por Zufre e chega a Higuera de la Sierra
-Sé perfectamente porque conozco este camino
Não sei se ficou convencido mas para esse facto eu estava maribando-me.

Delicadamente solicitou-me
-Complacerme -Abrir la puerta trasera trae.
Nem fiquei surpreendido. Viajava sozinho e ele ainda nem me tinha perguntado o motivo da minha viagem. Abri a tampa da mala e ele viu apenas as malas dos portateis e do tablete. Ainda viu uma mala pequena com roupa e uma pasta preta rigida, estilo lancheira.   
-Valores?
-Não! Mapas e papeis vários. Repare que se fossem valores o caminho era ao contrário
-Que Bolsa ahí lo tienes?
-São chirimoyas que comprei em Almuñecar , o que faço habitualmente. Olhe no interior do saco está o ticket da compra. Foram compradas esta manhã.

Viu o ticket que estava visivel do exterior do saco transparente
-Dime una cosa: si usted está aquí en este almuerzo zona ya salió de Roquetas y seguía Almuñecar comprar frutero, cómo tenía tiempo? Entonces, ¿qué hora salió del hotel?
Apeteceu-me responder-lhe em sotaque andaluz, se bem que eu reparasse que ele era estremenho, tal como a área da "rotonda" já na extremadura espanhola.

-Pero quién te ha dicho que yo estaba en un hotel? Me fui de casa a mi hijo muy pronto. Mejor: temprano!....


-Bueno! puedes seguir

 Mercado de abastos de Almuñecar . Uma delicia as chirimoyas. É uma fruta anti-cancerígena excelente. Metade do preço praticado em Portugal
 
 
 
 E as "mangas de Almuñecar" (mais pequenas que as normais do Brasil)  são um espectaculo. Baratissimas

Conclusão: o facto de eu ter comprado as anonas em Almuñecar foi a prova, para ele, que eu vinha mesmo de Roquetas e estava a falar verdade.

Confirmei que era uma pessoa delicada e deu mostras de ser uma pessoa séria. Nunca arranjou confusão.
Quando passei em Aracena parei num bar e vi nos escaparates os jornais espanhois que noticiavam que José Socrates tinha ficado “en preventiva” na noite da passada segunda.
Sintra. 2014. Novembro. 28

Sem comentários:

Obrigado Pela Sua Visita !