BANCADA DIRECTA: Alabardas, alabardas. Espingardas, espingardas. Isto escreveu Saramago. Eu digo que por aqui não haverá mais virgens (2) Quero lá saber da forma como ele recebeu………Só sei que qualquer verdade tem sempre uma mentira a acompanhar. Quando se trata de um mentiroso, claro!

sábado, 27 de setembro de 2014

Alabardas, alabardas. Espingardas, espingardas. Isto escreveu Saramago. Eu digo que por aqui não haverá mais virgens (2) Quero lá saber da forma como ele recebeu………Só sei que qualquer verdade tem sempre uma mentira a acompanhar. Quando se trata de um mentiroso, claro!

Alabardas, alabardas. Espingardas, espimgardas. Isto escreveu Saramago. Eu digo que por aqui não haverá mais virgens (2) Quero lá saber da forma como ele recebeu………
Só sei que qualquer verdade tem sempre uma mentira a acompanhar. 
Quando se trata de um mentiroso, claro! 

Isto tudo parece conversa de chinês. Mas não é! Trata-se do filme norte americano "Doze é demais".

A verdade da mentira 

Um advogado tinha 12 filhos. 

Precisava de sair da casa onde morava e de alugar outra, mas não conseguia por causa do montão de crianças. Quando dizia que tinha 12 filhos, ninguém queria alugar, pois temiam que a criançada iria destruir a casa. 

Não podia dizer que não tinha filhos, porque não podia mentir. É que os advogados não podem mentir! Estava mesmo a desesperar, pois o prazo para mudar já estava quase no fim. 

Felizmente, porém, ocorreu-lhe uma ideia brilhante: mandou a mulher ir passear no cemitério com 11 filhos. Pegou no filho que sobrou e foi ver casas, juntamente com o agente da imobiliária. Gostou de uma e, quando o agente lhe perguntou quantos filhos tinha, respondeu que tinha 12. 

O agente indagou: 
- Onde estão os outros?! 

O advogado respondeu, com um ar muito triste: 
- Estão todos no cemitério, mais a mãe. E foi assim que conseguiu alugar uma casa sem mentir... 

Moral da história: 
Não é necessário mentir, basta escolher as palavras certas.

Sem comentários:

Obrigado Pela Sua Visita !