BANCADA DIRECTA: Afinal por onde paira o “milagre económico” que o tal ministro da pasta de economia se andava a vangloriar. Esta é a verdade dos números desse tal “milagre” e o Governo tem de admitir que o país está cada vez mais pobre…….

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Afinal por onde paira o “milagre económico” que o tal ministro da pasta de economia se andava a vangloriar. Esta é a verdade dos números desse tal “milagre” e o Governo tem de admitir que o país está cada vez mais pobre…….

Afinal por onde paira o “milagre económico” que o tal ministro da pasta de economia se andava a vangloriar. 
Esta é a verdade dos números desse tal “milagre” e o Governo tem de admitir que o país está cada vez mais pobre……. 

Número de insolvências em Portugal aumenta 8,1% Valor registado até maio é superior ao do mesmo período do ano passado 

A empresa especialista em soluções integradas de gestão de risco para o sector empresarial, IGNIOS, revelou dados que apontam para 3799 insolvências de empresas em Portugal, nos primeiros cinco meses de 2014. Este valor evidencia uma subida de 8,1% face às 3512 insolvências observadas no mesmo período do ano passado. 

Só o mês de Abril apresentou menor número de insolvências face ao mesmo mês do ano anterior, com todos restantes meses entre janeiro a maio a apresentarem crescimentos em termos homólogos. 

A IGNIOS dá ainda nota de que o número de empresas criadas em 2014 (Janeiro a Maio) apresenta, contudo, uma quebra de 7,8% face às 17.360 empresas criadas entre Janeiro e maio do ano passado, embora seja de destacar que o ritmo de queda da constituição de empresas tem vindo a abrandar ao longo do ano. 

Se em janeiro de 2014, a criação de empresas em Portugal tinha caído 22,7% face ao mesmo mês de 2013, essas quebras foram desacelerando para 15,2%, 12,7%, 10% e finalmente 7,8% nos meses de Fevereiro, Março, Abril e Maio, respectivamente. 

Outro dado a destacar é o facto das insolvências cujo processo se encontra já concluído (DI-Declarada a Insolvência) terem aumentado o peso no número total de empresas insolventes, representando 39,7% das insolvências no acumulado de Janeiro a maio deste ano, o que compara com o peso de 32,8% registado no total de 2013. 
Por outro lado, as insolvências apresentadas pelas próprias empresas (Declarada Insolvência-Apresentada) reduziram o peso de 34,9% para 28,9% considerando o mesmo período, enquanto que os restantes tipos de acções (Declarada Insolvência-Requerida e Plano de Insolvência) mantiveram o seu peso no total, nomeadamente em torno dos 29% e dos 2%, respectivamente. 

Os dados da IGNIOS reportam também que as pequenas e micro empresas continuam a ser as mais afectadas pelas insolvências, já que cerca de 72,7% das empresas declaradas insolventes no nosso país nos primeiros cinco meses de 2014 tinham um volume de negócios inferior a 250.000 euros e cerca de 82,9% das insolvências dizem respeito a empresas com menos de 10 colaboradores.

Sem comentários:

Obrigado Pela Sua Visita !