BANCADA DIRECTA: Uma questão de mãozinhas. Não será o caso da tal mão morta, mão morta: vai bater àquela porta.....Mas sim pensar nos sentimentos e tremuras que um deslizar de mão pode provocar com umas festas a preceito. O nosso Dom Payo Peres Correia percebe do que escreve sobre este tema

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Uma questão de mãozinhas. Não será o caso da tal mão morta, mão morta: vai bater àquela porta.....Mas sim pensar nos sentimentos e tremuras que um deslizar de mão pode provocar com umas festas a preceito. O nosso Dom Payo Peres Correia percebe do que escreve sobre este tema



Pois é! Será mesmo uma questão de mãozinhas. 
Não será o caso da tal mão morta, mão morta: vai bater àquela porta.....
Mas sim pensar nos sentimentos e tremuras que um deslizar de mão pode provocar com umas festas a preceito. 
O nosso Dom Payo Peres Correia percebe do que escreve sobre este tema


A MÃOZINHA MAROTA 

A mão deve ser posta nas costas, de forma casual e sem outra intenção senão a de demonstrar simpatia. Ponto final. Assunto fundamental e obrigatório. 

Um erro neste item e está tudo perdido. Importante é termos dado por adquirido este ponto estratégico base do desenvolvimento dos passos subsequentes. 

E daqui partimos para o ataque. A mão será a esquerda se o seu objectivo estiver à sua esquerda. O contrário é verdadeiro mutatis mutantis. 

Depois passamos ao desenvolvimento das operações. A mão avança sem pressas. Tipo “mão morta”, ladeando as costas como se fosse dirigida ao ombro. Porém, aqui se desenvolve um desvio e inflexão. É preciso baralhar o adversário e sobretudo diversificar. 

Nunca sugerir a jogada seguinte – eis o segredo. A mão – convém – deve deslizar quente e mole mas insinuante. Não deve parar nunca: parar é morrer. 

Deve serpentear ora fazendo que pára mas anda ora fazendo que anda mas parando. Desnorteando como o olhar de uma serpente, encantador. E depois com a presa segura é preciso fechar os olhos e apagar a luz. 

O que se seguirá só adivinha quem for poeta….e quem vier atrás que feche a porta.

D. Payo Peres Correia

Nota de Bancada Directa

Surge hoje no nosso blogue um novo colaborador que dá pelo pseudónimo de D. Payo Peres Correia, fidalgo de boa linhagem e melhor estirpe. 

Na sua apresentação e pedido de colaboração diz que escreve textos de 2ºs e 3ºs sentidos.

Damos-lhe as Boas Vindas

Sem comentários:

Obrigado Pela Sua Visita !