BANCADA DIRECTA: O meu 25 de Abril. O problema não é dos militares: é de nós todos. E assim queremos que os militares amigos da Revolução falem nos lugares em que o Povo os possa ouvir

domingo, 13 de abril de 2014

O meu 25 de Abril. O problema não é dos militares: é de nós todos. E assim queremos que os militares amigos da Revolução falem nos lugares em que o Povo os possa ouvir

O meu 25 de Abril. 
O problema não é dos militares: é de nós todos. E assim queremos que os militares amigos da Revolução falem nos lugares em que o Povo os possa ouvir 

Confesso que já não gostava muito da senhora e dos seus comportamentos autoritários para com os cidadãos que se manifestavam nas galerias do Parlamento a sua indignação para com aqueles que prejudicam com as suas Leis os mais carenciados desta população amargurada 

E agora com esta atitude de não deixar falar os militares aquando da sessão comemorativa do 25 de Abril no Parlamento ainda mais deixei de gostar dela. Estou farto das suas atitudes nada democráticas. 

O problema é deles, disse com a categoria de quem quer demonstrar que “pode, quer e manda”! O outro bem disse que “ai aguentam, aguentam”. Mas os militares não estão dispostos a aguentar. E vão falar sobre a Revolução do 25 de Abril num local onde o povo possa estar com eles. .
Os militares que fizeram o 25 de Abril vão intervir publicamente no dia em que se celebram os 40 anos da Revolução dos Cravos. "Iremos preparar uma intervenção e vamos torná-la pública no dia 25 de Abril. Ainda não decidimos qual vai ser o local", Vai ser por aí| 

Há nos homens, e neste caso, mulheres, cujo problema é deles, mais massa óssea na coluna vertebral do que em todos os que os ofendem, mais sabedoria e experiência de vida do que nos oportunistas que os desprezam, mais coragem e amor à Pátria do que os que julgavam ser sua a pátria alheia e não lhes perdoam a liberdade de que não sentiam falta. 

O conteúdo da intervenção vai ser debatido pelo militares "no âmbito da Associação". "Não tenho por hábito preparar as intervenções de forma isolada, mesmo que no final seja eu a redigi-la", refere Vasco Lourenço. 

Sobre a reacção do Aguiar Branco, digo que já nos habituou a este comportamento e refrões de frases antecipadamente feitas para todas as ocasiões. Mas nunca se esqueça que foram os militares que lhe deram a oportunidade de dizer as asneiras que vai dizendo", afirmou outro militar representante dos oficiais.. 
Entretanto, o grupo parlamentar do partido socialista pediu a Assunção Esteves a convocação de uma conferência de líderes por causa da ausência dos capitães de Abril na cerimónia oficial no Parlamento. Em carta dirigida a Assunção Esteves e assinada por Alberto Martins, líder da bancada, os socialistas escrevem que "a pretensão dos capitães de Abril de falar na sessão solene do 25 de Abril tornou-se um facto público que a Assembleia da República deve apreciar em tempo útil." 

Assunção Esteves afirmou, esta quinta-feira, que convidou a Associação 25 de Abril para estar presente - e "só" isso - na sessão solene comemorativa da revolução e que se os militares impõem a condição de falar "o problema é deles 

Triste triste, muito triste!........ .

Sem comentários:

Obrigado Pela Sua Visita !