BANCADA DIRECTA: Como é possível ser-se tão vaidoso e tão incompetente ao mesmo tempo. A Durão Barroso não lhe interessará voltar à actividade como politico cá na nossa terra. O que ele pretende (apesar de dizer o contrário) é algum lugarzinho na União Europeia. Passos já deu o mote e o toque aos parceiros europeus.

segunda-feira, 10 de março de 2014

Como é possível ser-se tão vaidoso e tão incompetente ao mesmo tempo. A Durão Barroso não lhe interessará voltar à actividade como politico cá na nossa terra. O que ele pretende (apesar de dizer o contrário) é algum lugarzinho na União Europeia. Passos já deu o mote e o toque aos parceiros europeus.

 Como é possível ser-se tão vaidoso e tão incompetente ao mesmo tempo. 
A Durão Barroso não lhe interessará voltar à actividade como politico cá na nossa terra. 
O que ele pretende (apesar de dizer o contrário) é algum lugarzinho na União Europeia. 
Passos já deu o mote e o toque aos parceiros europeus. Durão Barroso 

Durão Barroso não é apenas um acidente na presidência da Comissão de que não há memória no processo de integração europeia, mas pior do que a incompetência é a forma como se comporta com os Estados-membros ou com alguns parceiros Três factos assentaram ultimamente na figura deste Durão Barroso. 

E em primeiro lugar vamos referir que num alarde de vaidade Durão Barroso afirmou que sempre defendeu nas suas funções o seu país de origem. 

Foram estas as suas afirmações 
O presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, que hoje anunciou publicamente não estar disponível para continuar no cargo, disse não ter planos para o futuro e que ao longo do mandato fez "tudo o que podia por Portugal". 
É por causa deste apoio a Portugal que eu tenho sofrido muitos cortes no meu vencimento e neste mês vem por aí outro. E dos grandes. 

Depois vem a questão ucraniana. Como é que um artista destes fala de galo em nome de um país que tem um governo transitório de legitimidade duvidosa? É evidente que os ucranianos querem a esmola europeia e desde que lhes paguem o gás estão disponíveis para qualquer acordo. 

Mas haja decência, Durão Barroso poderia disfarçar esta situação e ter mais cuidado ao falar, ao menos protegia a dignidade da Ucrânia. Pela forma como actua só nos resta esperar que este artista se lembre de propor a invasão da Crimeia por suspeita de lá existiram armas de destruição em massa ou porque tem provas de que os russos da Crimeia estão feitos com a al Qaeda. .. 

«O presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, assegurou, em Atenas, que a Ucrânia vai assinar um acordo de associação com a União Europeia (UE), que a anterior administração rejeitou, e que o fará em paz. "A Ucrânia vai selar uma associação com a UE, mas vamos fazê-lo de forma a que haja paz. O nosso objectivo é [ter] uma Ucrânia em paz e próspera".
E agora Durão Barroso é instado a falar no seu futuro politico e o que pensa fazer
. Pensa, pensa e vamos lá a fazer contas aos proventos financeiros e mordomias da União Europeia que vão ao ar

À chegada do Congresso do Partido Popular Europeu foi questionado. sobre se já pensou sobre o seu futuro após terminar o segundo mandato como presidente do executivo comunitário, o português respondeu: Durão Barroso, que se manterá no cargo até ao final de Outubro, afirmou depois estar de consciência tranquila em relação ao seu desempenho e no apoio a Portugal durante a crise financeira.

E num alarde de uma vaidade saloia disse:
-"Devo dizer que os momentos que mais sofri não foram tanto com a crise do euro, mas com o que se passava no nosso país, e agora aqui na Irlanda têm reconhecido o que fiz pela Irlanda, na Grécia também acabaram de me distinguir com outra condecoração, se os outros países reconhecem que fiz por eles o máximo que podia fazer, será que não o faria pelo meu próprio país?", interrogou. "Fiz tudo o que podia por Portugal, nesse aspecto tenho a consciência absolutamente tranquila", acrescentou. • 

E agora surge Passos Coelho a dar uma ajudazinha ao Durão O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, lançou implicitamente esta sexta-feira a candidatura de Durão Barroso, actual presidente da Comissão Europeia, para um novo cargo europeu, apoiando-se na experiência e conhecimento adquiridos em dez anos em Bruxelas. . 
Não me acredito que este Junker seja capaz de salvar a Europa da crise em que anda mergulhada e nem terá forças nem coragem para contrariar a senhora Merkel

Nos últimos minutos do discurso perante os outros primeiros ministros do PPE e os 812 congressistas reunidos em Dublin, Passos afirmou: “Permitam-me, enquanto português e europeu, uma última palavra de gratidão e reconhecimento ao trabalho de José Manuel Durão Barroso na Comissão Europeia”. 

Referindo-se aos desafios que o responsável português enfrentou nos seus dez anos em Bruxelas, sobretudo por causa das crises financeira, económica e das dívidas soberanas, Passos considerou que “o seu carácter foi essencial para o reforço das nossas instituições europeias e para esta nova era em que estamos a entrar”. 

E concluiu, dirigindo-se a Barroso: “Não é candidato à próxima Comissão, mas tenho a certeza, José Manuel Durão Barroso, de que o seu conhecimento será muito útil para todos nós no futuro próximo nas nossas instituições europeias”. 

Adriano Rui Ribeiro / Bancada Directa

Sem comentários:

Obrigado Pela Sua Visita !