BANCADA DIRECTA: “Tempicos e os pastelinhos de nata". O Detective Tempicos volta a atacar. Bancada Directa apresenta aos seus leitores uma nova série de aventuras deste famoso ex-inspector, muito especialista em tudo, menos descobrir crimes. Os outros que o façam nesta novela colectiva. Nós fazemos-lhe a vontade. Hoje temos o Episódio nº 4 da autoria de Tempicos, em forma de interlúdio, já que a novela está ferida de morte e o assassino anda a monte.

domingo, 1 de dezembro de 2013

“Tempicos e os pastelinhos de nata". O Detective Tempicos volta a atacar. Bancada Directa apresenta aos seus leitores uma nova série de aventuras deste famoso ex-inspector, muito especialista em tudo, menos descobrir crimes. Os outros que o façam nesta novela colectiva. Nós fazemos-lhe a vontade. Hoje temos o Episódio nº 4 da autoria de Tempicos, em forma de interlúdio, já que a novela está ferida de morte e o assassino anda a monte.

“Tempicos e os pastelinhos de nata". 
O Detective Tempicos volta a atacar. 
Bancada Directa apresenta aos seus leitores uma nova série de aventuras deste famoso ex-inspector, muito especialista em tudo, menos descobrir crimes. 
Os outros que o façam nesta novela colectiva. Nós fazemos-lhe a vontade. Hoje temos o Episódio nº 4 da autoria de Tempicos, em forma de interlúdio, já que a novela está ferida de morte e o assassino anda a monte.

O Detective Tempicos comenta a evolução da novela e diz de sua justiça: não ficaremos tristes se mais mortes e feridos acontecerem. Assim como assim já estamos por tudo!........ 

Episódio 4


FADO DA FATINHA
           


Manuscrito encontrado numa garrafa de whisky, no quarto do Detective Tempicos, esquecido debaixo da sua cama. A policia só agora autorizou a sua publicação, para evitar levar os restantes personagens a pensar coisas que poderão não vir a ser provadas na investigação. 

Como entretanto, temos um assassinato na nossa história, nada que não se adivinhasse, a Dona Fatinha e o reformado da PJ detective Tempicos autorizaram os escritores a dar à luz este texto, presumivelmente da autoria do reformado policial.

 …………………………………..
Glosa ao fado “Por morrer uma andorinha” (com versículos)

Musica e letra de Tempicos
……………………………………

Se deixaste de ser minha - minha dor
Não deixei de ser quem era     - na cama
Por morrer uma andorinha – num dia
Não acaba a primavera – caramba!

Por morrer uma andorinha
Não acaba a Primavera

Estou muito magoado – e dói
Porque eu sou de boa gente - catita
Ao me dares de presente – cabrita!
Um par de “chifres” armado – com fita.

Eu já estava habituado - babado
Aos pastelinhos de nata – na boca
Por isso fiquei à espera – na toca
Mas foi ilusão que tinha – na tola
Por deixares de ser minha – ó louca
Não deixei de ser quem era -mariola

Eu já estava habituado
Aos pastelinhos de nata....na boca

Por muito que tu me cantes - balelas
Que o “outro” te ama mais – ca mim
É os nossos rituais – por fim
Que vejo muito distantes - sequelas

Se queres como era dantes – ó minha
Fico aqui à tua espera´- de veras
Volta amor, não é quimera – quem dera
volta p´ra minha caminha…- nuzinha!

Volta amor, não é quimera
Volta p´ra minha caminha - nuzinha

Por morrer uma andorinha – ó mana
Não acaba a primavera – na cama.

Tempicos tinha ultimamente feito estudos sobre as origens do fado e já começara a escrever uns fadunchos, geralmente picados de textos conhecidos. O texto encontrado trata-se de um picanço descarado. Mas é assim que se começa e muitas vezes acaba.


Mas, como dizia o outro, a vida tem altos e baixos e, sem querer, a gente tropeça.

Fim do episódio nº 4
A saga continua

Episódio nº 4
O autor


Sem comentários:

Obrigado Pela Sua Visita !