BANCADA DIRECTA: Em Portugal, por muito que os nossos governantes sorriam ao falar em crescimento, a verdade é que esta pobreza que nos rodeia permite que “um em cada quatro portugueses sofram de exclusão social”! Fernando Correia diz de sua justiça e fica preocupado com este sofrimento.

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Em Portugal, por muito que os nossos governantes sorriam ao falar em crescimento, a verdade é que esta pobreza que nos rodeia permite que “um em cada quatro portugueses sofram de exclusão social”! Fernando Correia diz de sua justiça e fica preocupado com este sofrimento.

 Em Portugal, por muito que os nossos governantes sorriam ao falar em crescimento. 
A verdade é que esta pobreza que nos rodeia permite que “um em cada quatro portugueses sofram de exclusão social”! 
Fernando Correia diz de sua justiça.
E fica preocupado com este sofrimento. 


 A noticia é de há dias e, provavelmente, também será de hoje e pode muito bem ser agravada amanhã: um em cada quatro portugueses está ameaçado de pobreza ou sofre mesmo de exclusão social. 

Isto quer dizer, por outras palavras, que um quarto da população portuguesa está na miséria e que o caminho para a recuperação não está à vista, embora se queira convencer as pessoas do contrário, com o Governo a falar de retoma económica e do regresso aos mercados. Isto é caricato, por várias razões. 

Em primeiro lugar, porque antes do regresso aos mercados é preciso estabilizar a economia interna, depois porque a maioria das pessoas não sabe o que é isso de ir aos mercados, quando elas não têm capacidade de compra, ou seja, quando elas próprias não podem ir ao mercado. Finalmente porque não é com ilusões que Portugal e os portugueses conseguem viver. 
De resto, o primeiro-ministro, homem apregoadamente de convicções, de poder e de mando, já usou de todas as artimanhas possíveis para convencer os portugueses a sofrer, a empobrecer, a emigrar e, até, a morrer, por não lhes dar condições de sobrevivência, com os seus ministros a ignorarem a realidade de uma forma que a História julgará! 

Por isso, também, senti-me particularmente ofendido e empobrecido intelectualmente, quando li que o senhor Passos Coelho apelava aos portugueses para se reverem, nos seus sacrifícios, no espírito do dr. Sá Carneiro e, por ele, tentarem unir-se na recuperação do país. Inacreditável! 

Mais do que isso: atentório da dignidade, do respeito e da memória que devemos conservar por essa grande figura da democracia que não tem comparação possível com os “jotas” que começaram a ser criados no seu tempo e que resultaram naquilo se vê agora Portanto nada de comparações, de apelos ou figuras de retórica condenáveis sob todos os aspectos. 

O que nós, portugueses queremos saber é quem e quando nos tiram deste filme de terror em que somos obrigados a viver. Repito:um em cada quatro portugueses vive na miséria ou corre risco de exclusâo social. Estes números não serão suficientes?....

E o pior é que não se vê o fim deste sofrimento e sabe-se que cada vez os ricos estão mais ricos (são os jornais que o escrevem e demonstram-no) e os pobres estão cada vez mais pobres. Em nome de quem? 

Agradecimento ao nosso caríssimo amigo pessoal Fernando Correia 

Fernando Correia escreve no “Jornal Daqui” do Concelho de Mafra

Sem comentários:

Obrigado Pela Sua Visita !