BANCADA DIRECTA: "Como nasce uma história". Antevisão da novela colectiva "Tempicos e os pastelinhos de nata". Amanhã publicaremos o episódio dois e este post já devia ter sido publicado antes do episódio zero. Simplesmente o texto estava num computador em Punta Umbria e só hoje o recuperei.

sábado, 16 de novembro de 2013

"Como nasce uma história". Antevisão da novela colectiva "Tempicos e os pastelinhos de nata". Amanhã publicaremos o episódio dois e este post já devia ter sido publicado antes do episódio zero. Simplesmente o texto estava num computador em Punta Umbria e só hoje o recuperei.

“Tempicos e os pastelinhos de nata. 
O Detective Tempicos volta a atacar. 
Bancada Directa apresenta aos seus leitores uma nova série de aventuras deste famoso ex-inspector, muito especialista em tudo, menos descobrir crimes. 
Os outros que o façam nesta novela colectiva. 
Nós fazemos-lhe a vontade. 
Hoje apresentamos a ideia da novela 

 COMO NASCE UMA HISTÓRIA 




Um pequeno grupo de escritores de histórias policiais já escreveu – com o brilho fulgurante das estrelas fulgentes – diversas obras consideradas um género ainda não explorado, conhecido como o policial erótico satírico, cujas sucessivas edições em papel inundam os sótãos dos melhores alfarrabistas. 

Propomos-nos arregimentar de novo a equipa para continuar a saga. Desta vez temos uma história base – uma sequela – das aventuras de Tempicos, depenicador de pastelinhos de nata, mais a patroa da pensão Kumbala, a conhecida Dona Fatinha. Temos ainda as diabruras da menina Arlete, uma moça magana. Nascida na Trofa e imigrante para Angola muito jovem e regressada pela mão de Dona Fatinha. Nesta história sua ajudante. 

Um novo personagem surge na figura do Eduardo canalizador, benfiquista e completamente “marado” pela fórmula um, mais precisamente os carrinhos vermelhos do cavalinho empinado. O 

Dr. Aurélio médico da Caixa. O médico era um fan dos problemas policiais e concorria a torneios com o pseudónimo de Sete+Dois. Passou em jovem num Seminário, mas aos 16 anos começou a cheirar rabos de saia e saltou o muro. 

O Ruca- da- Bica outro personagem. Trabalhava na noite com um táxi. Alegava ser o maior colecionador de tentilhões da Europa 
Salvadoradinho – bailarino do Parque Mayer no desemprego, a viver por conta da Natália. 

Duarte – conhecido como o “motor de arranque” das velhas. Um tipo no mínimo esquisito. 


Iremos publicar como era costume regularmente no blog “Bancada Directa” e ainda no “policiário de bolso”. 

 Estamos a assediar pessoas com algum dinheiro para a confecção de uma edição de bolso.



Como nasce uma história

O autor da ideia.

Sem comentários:

Obrigado Pela Sua Visita !