BANCADA DIRECTA: United States of America. Aqui a Democracia nos dias de hoje é um “flop”. É a conclusão a que chega o nosso cronista “Olho Vivo e Pé Ligeiro” e sobre isto diz de sua justiça

terça-feira, 29 de outubro de 2013

United States of America. Aqui a Democracia nos dias de hoje é um “flop”. É a conclusão a que chega o nosso cronista “Olho Vivo e Pé Ligeiro” e sobre isto diz de sua justiça

United States of America. 
Aqui a Democracia nos dias de hoje é um “flop”. 
É a conclusão a que chega o nosso cronista “Olho Vivo e Pé Ligeiro” e sobre isto diz de sua justiça 

A DEMOCRACIA TEM AS COSTAS LARGAS 



Sempre ouvi dizer que a Democracia a valer era a dos Estados Unidos. Tinham uma Constituição onde os direitos dos cidadãos estavam assegurados e devidamente defendidos. E era verdade. 

Todo o cinema americano – que tanto influenciou a nossa juventude – tinha sempre o toque da justiça para todos, independentemente da etnia, da cor da pele, da conta bancaria dos cidadãos americanos. 


Na segunda guerra mundial ficou vincada a ideia de que os estados unidos da américa do norte defendiam o ideal democrático contra o nazismo, e atacavam as ideologias totalitárias e ainda as ditaduras que pululavam o mundo. Entretanto chegou ao poder o Bush filho e foram notórios os atropelos a tudo o que estava estabelecido. 


Não me esqueço da rábula a que assisti em direto na ONU à demonstração do maior embuste – autorizado – provando a existência de armas de destruição maciça, para justificar mais uma guerra, por um general negro de aparência simpática. 

A partir daqui valia tudo e adeus democracia… Já depois da chegada ao poder de Obama – de quem muito se esperava – mas que vai, aos poucos perdendo as oportunidades, parecia que a Democracia ia voltar a casa. Acontece que a prisão de homens sem julgamento nem culpa formada em Guantánamo, me faz lembrar a modesta PIDE portuguesa. 

Ultimamente o “escândalo” tornado público por Snowdon, prova de como o traidor e o herói tem uma ténue linha a separá-los. Ainda sobre este personagem não quero deixar de deixar aqui o meu veemente desagrado a um senhor que era na altura o nosso (nosso?- meu não era!) Ministro dos Negócios Estrangeiros, um tal Paulinho das Feiras, o nosso mais habilitado malabarista, que se pôs de cócoras. Servil, como mandam as regras dos bajuladores. 


Eu tinha esperança em Obama. Hoje são muitas as dúvidas que me atormentam. Por experiência sei que a palavra Democracia tem servido para as maiores aldrabices. Também sei que na Democracia da Grécia antiga as mulheres não votavam, nem os escravos, mas caramba já se passaram tantos e tantos anos e afinal ainda estamos tão atrasados. 

Uma nota final a esta Europa dirigida por verdadeiros homens de palha, que ficaram muito admirados por estarem há anos e anos a serem escutados pelos serviços secretos americanos. 

Mais sabiam eles. 


Julgam que nos enganam… 


Olho Vivo e Pé Ligeiro 

Lisboa. 2013. Outubro. 29


Sem comentários:

Obrigado Pela Sua Visita !