BANCADA DIRECTA: Um Governo sem governo. É a opinião do nosso amigo Fernando Correia. Cada vez mais lúcido e sem papas na língua o cronista põe o dedo na ferida ao constatar o desnorte que grassa nas lides governamentais.

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Um Governo sem governo. É a opinião do nosso amigo Fernando Correia. Cada vez mais lúcido e sem papas na língua o cronista põe o dedo na ferida ao constatar o desnorte que grassa nas lides governamentais.

Um Governo sem governo. 
É a opinião do nosso amigo Fernando Correia. 
Cada vez mais lúcido e sem papas na língua o cronista põe o dedo na ferida ao constatar o desnorte que grassa nas lides governamentais. 

Um Governo sem governo 


As autárquicas já lá vão e o Poder Local, desta vez, ficou expresso e traduzido em várias independencias ( naturalmente bem recebidas pelos votantes ), mas nalguns casos não passaram do gato escondido com o rabo de fora, porque, afinal, esses independentes foram apoiados por partidos politicos. 

É uma pena que tenha sido assim, porque o Poder Local, na sua essencia, é isso mesmo, ou seja, cidadãos que querem ( e podem) ser uteis à sua terra, independentemente do que representam, nestas mesmas regiões, os tais Partidos. 

Por outras palavras: as autárquicas, está provado, podem viver muito bem, sem Partidos e não são menos democráticas por isso. Mas, estas eleições, já lá vão e, agora, o povo português aguarda ansiosamente pelas Legislativas, a fim de ter a esperança de poder respirar, após um estrangulamento de vários anos, em que os jovens foram aconselhados a emigrar e os “velhos” obrigados a morrer. 


Os cortes nas pensões assim o determinaram e as escassas oportunidades de emprego assim o definiram. Enquanto elas não chegam, este Governo surge como, cada vez mais desgovernado, com ministros que entram e saem, com outros que mudam de posição e lugar com um vice a obrigar a criação de uma pasta, para que não houvesse perigo de desmoronamento total. 

No entanto, os que ficam andam, aparentemente , com rabos de palha, tais são as noticias e tais são os curriculos, nos quais se esconde apressadamente um passado que, afinal, não importa revelar. Também há uma Ministra das Finanças, politicamente Gaspar (que é um novo adjectivo aplicado ao sistema), há um Ministro da Educação, sem adjectivos, e um dos Negocios Estrangeiros que, visivelmente, não tem qualquer aptidão para a função, como se prova por esta relação com o Poder Judicial no caso de determinados cidadãos angolanos. 

 É verdadeiramente incrível! 


Apesar de tudo estão democraticamente proibidas as demissões, enquanto os “barões” do Partido da maioria dão conselhos à toa e são perseguidos internamente, encontrando-se alguns com processos disciplinares. Isto porque, como se sabe, não se pode criticar, muito menos dizer mal  


Que país tão bonito, com um Povo tão solidário, mas com determinada gente tão feia! 


Cá por mim, acreditem, não emigro, embora tenha vontade. 


Fico à espera. De quê? Do Sol, da Esperança, do Futuro 


Fernando Correia 


Fernando Correia escreve no jornal regional de Mafra “Jornal Daqui”

Sem comentários:

Obrigado Pela Sua Visita !