BANCADA DIRECTA: Estes aprendizes de feiticeiros lusófonos pedem uma achega ás instituições europeias e ao FMI para que pressionem o Tribunal Constitucional.

sábado, 19 de outubro de 2013

Estes aprendizes de feiticeiros lusófonos pedem uma achega ás instituições europeias e ao FMI para que pressionem o Tribunal Constitucional.

Estes aprendizes de feiticeiros lusófonos pedem uma achega ás instituições europeias e ao FMI para que pressionem o Tribunal Constitucional. 

Queixa-se o Governo de problemas herdados dos anteriores (Barroso, Santana, Sócrates ?), problemas a que se devem todas as malfeitorias actuais, incluindo o disparo dos juros, agravados quando da demissão irrevogável de Portas.


Mas, se era assim, porque mentiu descaradamente, durante a campanha eleitoral, sobre o massacre que nos preparou, e como justifica a sofreguidão para interromper a legislatura anterior e a entusiástica solidariedade do PR, que rapidamente substituiu a exuberância das críticas aos sacrifícios pedidos por Sócrates pelo silêncio de monge beneditino face à violência da austeridade imposta por Passos Coelho?
Aliás, como justificam Portas e Passos Coelho (não se sabe quem manda), com o País a atingir a fadiga fiscal, que cresça a dívida e o desemprego, depois de atingida a pobreza redentora que o catecismo ideológico preconizava? Onde está a alegada confiança dos mercados perante um Governo capaz de tudo? 

Tudo o que podia falhar, falhou efectivamente e da forma mais clamorosa. Falhou a hipoteca do PR a este Governo, a orquestra de papagaios recrutados para o protegerem e a legião de avençados, a inventarem desculpas para o fracasso, obstinados a conterem a decepção que cresce e a raiva que não para. 

Não lhes basta um governo, uma maioria e um presidente. Carecem de intimidar o povo, chantagear o Tribunal Constitucional e pedir a Barrosos e Lagardes que ameacem o País e humilhem os portugueses. 
O desemprego, a fome e a intimidação dos sindicatos são as armas suplementares para o cumprimento da agenda ideológica que encontrou actores de terceira categoria para a executarem. 

No laboratório de experiências em que sábios loucos e néscios convictos converteram o País, roda-se um filme de Frankenstein executado por aprendizes de feiticeiro. 


Jorge Sampaio já chamou à ordem os detractores do Tribunal Constitucional 


 Bancada Directa / Ponte Europa /  Carlos Esperança


Sem comentários:

Obrigado Pela Sua Visita !