BANCADA DIRECTA: Siria na iminencia de sofrer um ataque musculado do exterior made in USA. Vamos lá falar de Gasodutos, Petróleo e Geoestratégia.

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Siria na iminencia de sofrer um ataque musculado do exterior made in USA. Vamos lá falar de Gasodutos, Petróleo e Geoestratégia.

Síria: gasodutos, oleodutos, petróleo, geoestratégia 
Ser ou não ser, ter ou não ter, eis a questão. 

Neste caso é saber se foi por ordem do Governo sirio que foi lançado o ataque com armas químicas sobre a população civil nos arredores de Damasco ou se não foi. Concretamente não tem sido fácil acabar com as dúvidas sobre quem lançou o ataque com armas químicas em Ghouta, nos arredores de Damasco e cometeu o massacre de 1.400 vítimas inocentes incluindo muitas crianças. 


Se as armas químicas foram usadas pelo governo Sírio invade-se ou bombardeia-se a Síria mas se foram da autoria dos insurretos? Bombardeia-se ou invade-se os EUA, Israel, a Arábia Saudita e outros países sunitas do Golfo? Pois são estes países que armam e pagam os vários aos grupos terroristas que são as tropas no terreno dos insurretos, AlQaeda, talibãns e outros jihadistas. É um dilema real e cujas respostas têm de ser dadas com oportunidade. 

Uma verdadeira tragédia horrível a contabilidade de mais de 100 mil pessoas falecidas e mais de 1 milhão de pessoas deslocadas para evitarem o cenário dantesco da guerra civil. Se se concretizar o anunciado ataque por parte dos americanos estará eminente a destruição total do território sirio. Como se sabe a Siria tem um regime laico, mas autoritário não recuando perante a violencia quando necessário para salvaguardar as Instituições do regime, o que não é corrente – como padrão de vivencia - nos países do ocidente. 

O que é verdade é que antes mesmo de se saberem os resultados da inspeção feita pelos inspectores da ONU já havia resultados por partes de países sustentados pelos seus interesses especificos e que muito bem sabemos quais são. Foi ou não foi Bashar-al- Assad quem deu ordem para o ataque com gás sarin? Fizeram-se votações e houve alguns recuos, dado que principalmente há que salvaguardar os princípios de neutralidade de quem ataca um país 

Os parlamentares votaram e os resultados indiciavam que receavam o comportamento dos eleitores aquando das suas campanhas eleitorais. É que já havia antecedentes um tanto ilógicos, tais como o Iraque, a Libia, o Afganistão e o Egipto E para cumulo de todas estas incertezas ainda ninguém afirmou peremptoriamente que foi utilizado gás sarin na ocorrência. E se houve ainda ninguém teve a coragem de afirmar que foi o Governo sirio o mandante 

Assim, tudo bem "averiguado" e ponderados os interesses geoestratégicos dos EUA, os interesses do Pentágono, das empresas de armamento e das empresas com interesses no projeto do gasoduto NABUCO que a Síria não deixa passar pelo seu território, que seja então Barack Obama a decidir na certeza de que ele ficará como único responsável pelo que de mal ocorrer na acolitado por Hollande, não os comprometam a eles, deputados da Câmara dos Comuns. 

Interrogada por sondagem a opinião pública, 60% dos norte- americanos acham que não houve gás, ou a ter havido não se sabe quem o usou e que o Bashar al-Assad e o Obama se lixem e não os metam noutro sarilho como a do Iraque ou do Afeganistão porque os lucros são para as grandes companhias e quem paga as despesas são eles


Sem comentários:

Obrigado Pela Sua Visita !