BANCADA DIRECTA: Vamos lá meus amigos. Têm o prazo de uma semana para acabar com esta embrulhada. E como sei que vocês não se vão entender, não tenho outro remédio senão aquele caminho que já deveria ter seguido, isto é, marcação de eleições antecipadas.

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Vamos lá meus amigos. Têm o prazo de uma semana para acabar com esta embrulhada. E como sei que vocês não se vão entender, não tenho outro remédio senão aquele caminho que já deveria ter seguido, isto é, marcação de eleições antecipadas.

Vamos lá meus amigos.
Têm o prazo de uma semana para acabar com esta embrulhada.
E como sei que vocês não se vão entender, não tenho outro remédio senão aquele caminho que já deveria ter seguido, isto é, marcação de eleições antecipadas.

O ultimato foi feito em tom solene e não deixava margem para dúvidas. Ou há entendimento ou eu lavo daqui as minhas mãos e seja o que Deus quiser. Apesar de algumas declarações avulsas de que o entendimento será possível pesse acordo seja possível.


Concretamente e seguindo-nos pelas afirmações der Cavaco a realidade é esta: ‘Temos portanto uma semana para acabar com isto. A impossibilidade de o PS fazer um acordo com os actuais PSD e CDS é do domínio do óbvio. Impor um governo do género de iniciativa presidencial não é fácil no contexto constitucional.


No fim da semana do diálogo, Cavaco Silva fará um nova comunicação ao país em que acusará os partidos e anunciará o óbvio: contra a sua vontade, vai marcar eleições antecipadas.’ Há anos atrás e justificando-se com as inúmeras trapalhadas de números Jorge Sampaio beijou mortalmente Pedro santana Lopes e deu-lhe ordem de saída dissolvendo o Parlamento, apesar de Santana Lopes dizer em alto e bom som que tinha condições para governar.

Desta vez Cavaco prepara-se para dar o mesmo beijo em Passos Coelho, apesar deste afirmar que cumprirá o mandato até ao fim da legislatura. E concretamente vamos todos prepara-nos para termos eleições antecipadas. Com a sua política cega de austeridade, Passos vai atirar o PSD para um desastre eleitoral. E, pior, se este Governo continuasse com a remodelação em cima da mêsa prevista, iria permitir que Paulo Portas fosse o chefe do Governo.

Foi isso que Cavaco travou, também em nome do velho PSD. Ao mesmo tempo mostrou que Passos Coelho é inútil ao PSD e que é urgente retirá-lo do poder. Substituindo-o por uma incerteza mas necessária. Cavaco nunca esquecerá as afrontas que Paulo Portas lhe fez há muitos anos. Agora, face a um Governo exausto e sem norte, mostra-se interventivo. Já nem parecia que o seria. Mas está a sê-lo.


Com a espada da troika e do financiamento em cima da cabeça, os partidos estão sob pressão. Não podem romper a corda que os liga à salvação do país. Cavaco travou Portas. E, tal como Vítor Gaspar, disse ao PSD que Passos Coelho não sabe ser líder.


Mas que o PS não chegará a qualquer compromisso lá isso é verdade.

3 comentários:

luis pessoa disse...

Com as últimas notícias, já não digo nada...
Será que o Seguro vai entalar-se, em nome dos supremos valores do... pote?
Estou para ver...

Adriano Ribeiro disse...

Caro Luís
Mas que ninguém tenha dúvidas do que vai acontecer após o fracasso destas negociações tripartidas.
Cavaco dirá que fez tudo o possível para que houvesse um entendimento para a salvação nacional.. Então nem pensará num governo afim sob a sua égide, deixará de pensar em eleições antecipadas – que nunca foram do seu agrado - e manterá o governo em plenitude de funções e abrindo as portas para uma remodelação que conduzirá o Paulinho a vice.

Triste, muito triste
Abraço
Adriano Rui Ribeiro

luis pessoa disse...

meu caro, temo que antes disso o Seguro entre na jogatana e dê o aval para a "salvação nacional".
Esse é o meu temor primeiro

Obrigado Pela Sua Visita !