BANCADA DIRECTA: O desporto no Bancada Directa. Falemos de futebol profissional com envolvimento do tema arbitragem. Estará a nossa arbitragem no bom caminho? Fernando Correia põe o dedo na ferida e diz de sua justiça

sexta-feira, 28 de junho de 2013

O desporto no Bancada Directa. Falemos de futebol profissional com envolvimento do tema arbitragem. Estará a nossa arbitragem no bom caminho? Fernando Correia põe o dedo na ferida e diz de sua justiça

O desporto no Bancada Directa. 
Falemos de futebol profissional com envolvimento do tema arbitragem. 
Estará a nossa arbitragem no bom caminho? 
Fernando Correia põe o dedo na ferida e diz de sua justiça 

Os homens do apito e os seus dirigentes. 


Esta arbitragem portuguesa é uma originalidade Bem basta o erro cometido. Bem basta a avaliação despropositada. É suficiente o corporativismo existente no sector.


Mas, como se isto não bastasse, eis-nos perante mais uma originalidade consubstanciada nas classificações dos árbitros que atiraram alguns para a segunda divisão da arbitragem (sem terem culpa alguma) e elegeram outros como grandes senhores da arbitragem nacional, como se percebeu nas classificações atribuidas, por exemplo, aos árbitros Rui Silva e Rui Costa. 


Inacreditável. Ficámos a saber depois que, contrariamente ao informado pelo presidente dos árbitros, Vitor Pereira, a comissão encarregue de classificar os árbitros entendeu dever considerar como factores individuais valorativos, os testes escritos e as provas fisicas, para além das actuações nos jogos considerados dificeis 

 
Foi por isto que Paulo Batista baixou de divisão e foi por isto, também, que um dos assistentes de Artur Soares Dias - que até foi nomeado para integrar a equipa de arbitragem que dirigiu a final do Torneio de Toulon – baixou aos campeonatos distritais.. Ao fim e ao cabo sorte teve Pedro Proença em continuar na prim, tendo sido nomeado recentemente para dirigir o jogo dr abertura da Taça das Confederações no Brasil. 

Tudo isto era escusado se houvesse bom senso e se as pessoas que dirigem a arbitragem soubessem o que andam a fazer. Mas não. Como ninguém se entende eis-nos perante uma “bomba” perfeitamente ilógica e inoportuna que não deveria ter sido despoletada e que vai deixar, novamente, o grande publico consumidor de futebol em estado de alerta. Logicamente desconfiado! 


Não é assim que a arbitragem portuguesa evolui e não é assim que ela se credibiliza Aplaudo Vitor Pereira pelo esforço desenvolvido, mas há coisas que não valem o esforço. Com tais “comissões” e desentendimentos, o melhor é estar quieto e calado e deixar “correr o marfim”.


Cá por mim, cada vez dou mais valor aos árbitros honestos e competentes. É desses que reza a história. Os que praticam diatribes como esta de que lhes damos conta não merecem que percamos tempo com eles. Poderão sair de cena. Quanto antes!...


Fernando Correia 


(Fernando Correia escreve no “Jornal Daqui”, que circula no Concelho de Mafra.)


Sem comentários:

Obrigado Pela Sua Visita !