BANCADA DIRECTA: E querem ser eles o exemplo para esta Europa.. Alemanha: Um país de contrastes. E as divergências económicas dos cidadãos são evidentes. Uma situação que se vem registando desde 1995

sexta-feira, 17 de maio de 2013

E querem ser eles o exemplo para esta Europa.. Alemanha: Um país de contrastes. E as divergências económicas dos cidadãos são evidentes. Uma situação que se vem registando desde 1995

Alemanha: 
Um país de contrastes.
E as divergências económicas dos cidadãos são evidentes.
Uma situação que se vem registando desde 1995

Há os Alemães e os outros Alemães

A Alemanha é, também, um país de contrastes. É o país de Hitler mas também o país de Marx, é o país de Goebels e de Himmler, mas é também o país de Beethoven e de Einstein. E quanto à distribuição da riqueza e à sua evolução também há grandes contrastes? Vejamos: 1995 - 10% dos alemães mais ricos possuem 45% da riqueza privada do país. 2012 - 10% dos alemães mais ricos possuem 53% da riqueza privada do país. 1995 - 50% dos alemães menos favorecidos possuem 4% da riqueza privada do país. 2012 - 50% dos alemães menos favorecidos possuem 1% da riqueza privada do país.

Estes dados dão sustentação à tese de que, objetivamente, um operário ou um cidadão da classe média português tem interesses mais próximos dos de um operário alemão ou de um alemão da classe média do que de um banqueiro ou de um grande empresário português. E vice-versa. Mas frequentemente isso não é assim entendido pelos próprios.

E, como se sabe, o nacionalismo, ao contrário do internacionalismo, assim como a demagogia e a mentira sistemática que hoje caracterizam o governo em Portugal tem o objectivo de obnubilar essa realidade. Apesar das vantagens comparativas que a Alemanha tem obtido na gestão da crise desde 2008: taxas de juro baixíssimas e até negativas ou o menor desemprego das últimas décadas, já está a ser atingida pela política austera, uma verdadeira tara, que impôs à zona euro pois as suas taxas de crescimento já estão a convergir aceleradamente para zero.

Interessante é também constatar que os três estados federados mais ricos da Alemanha Baviera, Hesse e Baden Wurttemberg não querem que a sua riqueza seja compartilhada com o resto da Alemanha e querem que a legislação vigente seja alterada. Egoísmo idêntico ao da Catalunha ou do País Basco em Espanha. Eles são os Estados mais ricos e portanto os outros alemães que se danem.

Não, não estou a dizer bem Baden Wurttemberg não se solidarizou com os outros dois Estados ricaços e apoia a solidariedade nacional. Não por acaso o governo de Baden Wurttemberg é dirigido por um verde numa coligação Verdes/SPD e a Baviera e o Hesse são governados pela CDU da D. Merkel. 


Nota: dados retirados de um artigo do jornal espanhol  El País


Sem comentários:

Obrigado Pela Sua Visita !