BANCADA DIRECTA: Os “Troikanos” estão em Portugal. Agora querem falar com o PS já depois de terem acordados os cortes com o Governo. Antonio José Seguro aceita dialogar mas titubeia. A ver vamos se mantém a palavra de rotura com o PSD. Se não for assim, mal para ele….

terça-feira, 16 de abril de 2013

Os “Troikanos” estão em Portugal. Agora querem falar com o PS já depois de terem acordados os cortes com o Governo. Antonio José Seguro aceita dialogar mas titubeia. A ver vamos se mantém a palavra de rotura com o PSD. Se não for assim, mal para ele….

Os “Troikanos” estão outra vez em Portugal. 
Agora querem falar com o PS já depois de terem acordado os cortes com o Governo.
Antonio José Seguro aceita dialogar mas titubeia. 
A ver vamos se mantém a palavra de rotura com o PSD.
Se não for assim, mal para ele…. 

A Tróika está em Portugal... 

Estamos a ser bombardeados ao segundo com esta visita pouco respeitada. Deve ser para que ela se torne menos indigesta que a comunicação social nos matraqueia repetidamente com isso porque sabe quanto mais falar mais a indiferença se acentua.


A comunicação social informa que a Tróika vai ao PS. E a pressão sobre o PS é clara. De todos os lados, do PR, dos partidos do governo e do governo, de Durão Barroso e companhia, das instituições internacionais, enfim de tudo quanto cheira a austeridade. Em suma, dos seus defensores, apesar de cada vez ser maior a corrente que identifica a austeridade pouco inteligente (e é o caso) com mais pobreza e enterro do que ainda resta da economia. E mesmo como um recuo civilizacional.


Os meus votos vão no sentido de que o PS na recepção da Tróika se sintonize com os interesses de Portugal. Em que consiste isso no mínimo? Que seja pelo menos coerente com o que ultimamente tem vindo a dizer: renegociação profunda do memorando, implicando revisão das metas orçamentais, maiores maturidades para pagamento da dívida e juros muito mais baixos.


Aqui os lideres do PS portaram-se muito bem. Têm é de continuar a repudiar estas politicas de cortes injustos a cargo do Governo Passos/Gaspar

Por outro lado, a defesa intransigente de mudanças a nível da estratégia de desenvolvimento da UE, de forma a que os interesses de todos países sejam contemplados e da configuração da própria UE nomeadamente do seu Banco Central e do Orçamento.

Certamente, não será suficiente. Mas seria um bom começo. Há que aliviar o peso dos custos da dívida na economia portuguesa com vista a reiniciar o seu desenvolvimento. Não me parece que o PS vá ter algum sucesso nesta sua conversa, mas muito menos terá e cheirará a traição face ao País se transigir ou mostrar que apoia medidas de austeridade pouco inteligentes. 


Agradecimento ao Dr João Abel Freitas


3 comentários:

luis pessoa disse...

É claro que vai ceder!
E de certeza que vai dizer que é pelo bem de Portugal, vai uma aposta?

Como eu gostava de estar enganado...

Anónimo disse...

Tanto o Passos como o Seguro são duas
merdas. Vindos das jotas.
Deles os portugueses nada podem esperar

Adriano Ribeiro disse...

Caro amigo Luís
Também espero enganar-me quanto ao lider do PS.
Quanto ao comentário anónimo nada a comentar. A liberdade de expressão cabe neste blogue desde que em termos correctos.
Abraço
Adriano Rui Ribeiro

Obrigado Pela Sua Visita !