BANCADA DIRECTA: Sondagens da esperança......

terça-feira, 5 de junho de 2012

Sondagens da esperança......

O Rosa quer ser novamente a cor da esperança. Hoje o PS já está empatado (tecnicamente) com o PSD. Mas se o PS quiser novamente ser Governo tem de se portar muito bem. Isto é, governar para os portugueses. E para os trabalhadores principalmente!....... Sem deixar de olhar pela Saúde e da Educação. Sem isto não conta connosco! 

Mais dados da sondagem da Universidade Católica para a RTP, Antena 1 e Diário de Noticias PSD e PS empatados e a Esquerda de novo maioritária Queda de sociais-democratas não beneficia partido de Seguro. É à esquerda dos socialistas que mais se sobe. Desempenho do Governo é cada vez mais negativo. 


O PSD e o PS empatariam nas eleições legislativas, se estas tivessem hoje lugar, depois de uma queda significativa dos sociais-democratas em relação a idêntico barómetro realizado em Setembro passado. Mas os que ganham com esta queda - apesar do empate técnico -, não são os socialistas, que mantêm a estimativa do resultado eleitoral face ao anterior estudo. 
É mais à esquerda - CDU  (a coligação eleitoral que congrega PCP e Verdes) e Bloco de Esquerda - que crescem as intenções de voto, numa tímida comparação com o que se passou nas eleições na Grécia, a 5 de Março. Olhemos para os números: o PSD recolhe 36% dos votos dos inquiridos que manifestaram vontade em votar (há 22% que diz que não votaria e 10% que não sabe se iria votar). 


O PS tem 33% de estimativa, mas a diferença encontrada pode atribuir-se ao erro da amostra. Este empate resulta da descida acentuada dos sociais-democratas, que tinham 43% no barómetro passado, apesar do partido de Seguro não capitalizar a queda. A CDU e o BE somam cada um 9% de votos (tinham 7% e 6% antes), da estimativa obtida calculando a percentagem de intenções directas de voto em cada partido em relação ao total de votos válidos (excluindo abstenção e não respostas) e redistribuindo os indecisos com base numa outra pergunta sobre a sua intenção de voto. 
O CDS - que é por regra subestimado nestes estudos - mantém a sua votação face a Setembro: 6% (só 2% referem o partido de Portas como intenção directa de voto). No final, um Parlamento saído destas eleições teria uma maioria à esquerda (a soma das partes dá à actual maioria governamental - PSD e CDS - 42%, face aos 51% que somariam PS, CDU e BE.¬ Estas intenções de voto acabam por corresponder à avaliação que o barómetro apresenta do desempenho do actual Governo. 


O trabalho de campo foi efectuado de 26 a 28 de Maio, no final de um mês marcado pelas polémicas que envolveram o ministro Miguel Relvas ou da afirmação do primeiro-ministro de que o desemprego é "uma oportunidade", numa altura em que o número de desempregados atinge recordes históricos. 


E de Setembro até agora piorou a imagem que os portugueses têm do Executivo de Passos

Sem comentários:

Obrigado Pela Sua Visita !