BANCADA DIRECTA: A austeridade em Fragmentos e Opiniões. Um tema do Bancada Directa. A cumplicidade paga-se.

sexta-feira, 8 de junho de 2012

A austeridade em Fragmentos e Opiniões. Um tema do Bancada Directa. A cumplicidade paga-se.

O PS e esta governação. 
Ser-se cúmplice tem o seu preço. 
E a factura paga-se mais tarde. Depois não se admirem….. 

A austeridade é uma chaga que está implantada no seio da nossa sociedade e que afecta todos nós, excepto alguns (que ainda são muitos) que estão invulneráveis. E acontece que nós estamos a pagar vencimentos chorudos àqueles que apregoam que nós devemos ganhar menores salários. E são estes consultores que se enxameiam à volta deste governo. Numa auréola de compatibilidades de forma absurda e imoral.


 Se a actual austeridade já é uma chaga, temos de reconhecer que a maior fatia das consequências das medidas de austeridade decretadas pelo governo ainda está a caminho. Milhares de pequenas empresas vão falir, o desemprego vai subir até números impensáveis, vai aumentar a entrega diária de casas aos bancos, a pobreza vai deixar de se envergonhar, as receitas do Estado vão minguar até ao ponto em que as metas do equilíbrio orçamental vão passar a ser uma miragem e as dívidas não se podem pagar. 


 Daqui a poucos meses, o que vão fazer? Mais medidas de austeridade? Debaixo da aparente calma do dia a dia germina um vulcão em ebulição. Nunca Lisboa esteve tão próxima de Atenas. 

O PS tem de uma vez por todas explicar aos portugueses se está com este Governo, ou bem pelo contrário, reconhece os erros continuados desta governação. Assim é que não se pode continuar, isto na perspectiva de quem é militante ou simples adepto dos socialistas. Ou sim ou sopas! Quanto mais tarde o PS se desvincular desta loucura que é uma austeridade desmesurada e recessiva, maior será a factura a pagar no futuro. E o preço será muito caro. Será um total abandono dos seus militantes e simpatizantes. 


Para que se conste! 
Adriano Rui Ribeiro 


Vamos lá a ver se passamos das palavras aos actos 


 ANTÓNIO JOSÉ SEGURO 
"Os portugueses não aguentam mais austeridade" Dinheiro Vivo. 25 Maio 2012 (in DN) 


 António José Seguro voltou a defender que Portugal está a seguir uma política errada de "austeridade a qualquer preço" e lembrou que os portugueses não aguentam mais cortes. Numa entrevista à agência Reuters, o líder da Oposição lembrou que o país precisa de mais tempo para consolidar as contas e reduzir o défice e que por isso deverá poder contar com a ajuda dos parceiros europeus e conseguir mais um ano para atingir as metas previstas para o défice.

Sem comentários:

Obrigado Pela Sua Visita !