BANCADA DIRECTA: Deu-lhe mesmo. As fotos correm pela imprensa europeia

sexta-feira, 23 de março de 2012

Deu-lhe mesmo. As fotos correm pela imprensa europeia

A foto da fotojornalista da France Press Patrícia Melo a ser agredida por um policial está a correr o Mundo.

O registo aconteceu durante a manifestação da Plataforma 15 de Outubro, no Largo do Chiado, em Lisboa, integrada na Greve Geral desta quinta-feira.

Além de Patrícia Melo, o fotojornalista da Agência Lusa José Sena Goulão também foi alvo da violência policial, sendo brutalmente agredido no chão, mesmo depois de se ter identificado como jornalista.

Sena Goulão foi obrigado a receber assistência médica.

Segundo fonte oficial do Comando da PSP de Lisboa, os confrontos começaram quando alguns manifestantes atiraram objectos, junto à esplanada do café Brasileira. A PSP mandou para o local 10 carros para acompanhar os manifestantes.

Contribuições

Noticia retirada do Jornal "A Bola"

PSP vai analisar violência na greve geral

A Polícia de Segurança Pública anunciou que vai «verificar a legalidade» dos momentos de violência que marcaram o dia de greve geral.

Em comunicado divulgado esta quinta-feira à noite, citado pelo JN, aquela força policial alerta para a «correcta identificação» dos jornalistas na manifestação, no âmbito do caso da fotojornalista da AFP que foi agredida esta quinta-feira.

A Direção Nacional da PSP salienta que «tem feito com a antecedência necessária diversos apelos aos órgãos de comunicação social (...) para a necessidade de [de os jornalistas] se identificarem, colocando-se sempre do lado da barreira policial que os separa dos manifestantes em geral».

Os primeiros testemunhos indicavam que um jornalista da agência Lusa e uma fotojornalista da agência AFP foram agredidos pela polícia, apesar de alegadamente terem mostrado a identificação como tal.

Para a PSP tal não aconteceu, mas garante que vai investigar os actos de supostas situações de abusos de força policial: «Continuamos a verificar que tal não aconteceu nas manifestações levadas a efeito no dia de hoje e lamentavelmente tivemos necessidade de usar a força pública.»

No mesmo documento a PSP reitera «a necessidade da correcta identificação de todos os jornalistas e da sua devida colocação no terreno para que este tipo de situações não se volte a repetir», e afirma que irá conduzir «averiguações (...) tendentes a verificar a legalidade dos actos que as fotos demonstram».

Sem comentários:

Obrigado Pela Sua Visita !