BANCADA DIRECTA: Alto Douro Vinhateiro e Sintra em risco de perderem o estatuto da UNESCO de Património Mundial

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Alto Douro Vinhateiro e Sintra em risco de perderem o estatuto da UNESCO de Património Mundial

Alto Douro Vinhateiro e Sintra em risco de perderem o estatuto da UNESCO de Património Mundial

Declarações em Sintra para combater as alterações climáticas deste planeta

Ambiente: Sintra e Alto Douro Vinhateiro são as principais regiões portuguesas em risco devido às alterações climáticas. Foi o tema central do XI Congresso Mundial da Organização das Cidades Património Mundial da UNESCO. Os 145 países presentes assinaram a Declaração de Sintra, um importante documento que unifica esforços para a mitigação e adaptação às alterações climáticas.
Vila Velha de Sintra. Palacio da Vila

Os países presentes no Congresso que discutiu o impacto das alterações climáticas nas zonas classificadas comprometem-se a aplicar os pontos exarados na Declaração de Sintra. O documento consiste em cinco pontos: recolher experiencias das várias zonas classificadas, criar plataformas de conhecimento para trocas de experiencias das várias zonas classificadas, consolidar a valorização do património, criar e manter parcerias e contribuir para um debate global sobre as alterações climáticas.

Segundo o documento assinado da Declaração de Sintra os diversos países comprometem-se a desenvolver e promover as cidades de Património Mundial como zonas prioritárias para pesquisa sobre conservação do Património Urbano e mudanças climáticas.

Entre os passados dias 22 e 25 de Novembro, vários especialistas nacionais e internacionais estiveram em Sintra para discutir o impacto que as alterações climáticas vão ter nas zonas classificadas e procurar encontrar soluções para atenuar as consequenciais desses impactos. Segundo o professor de Física e Ciências do Ambiente da Universidade de Lisboa, Filipe Duarte Santos, coordenados do projecto SIAM – Scenarios, Impacts and Adaptation Measures, as áreas em maior risco em Portugal são Sintra e o Alto Douro Vinhateiro.

“Um dos mais graves impactos é ao nível das subida do nível médio do mar, sobretudo nas cidades património mundial costeiras, como é o caso de Amesterdão, Veneza e Alexandria. Também nas zonas montanhosas o clima está a mudar, a temperatura a aumentar e isso tem influencia ao nível do risco crescente de incêndios florestais, pondo em risco zonas como Sintra e o Alto Douro Vinhateiro” afirmou o especialista ao jornalista Joaquim Reis do jornal regional Correio de Sintra.

Alto Douro Vinhateiro. O Rio Douro ao passar pelo Pinhão

O responsável adiantou que uma das formas de diminuir o impacto das alterações climáticas passa por as populações dependerem menos dos combustíveis fósseis, diminuindo a emissão de dióxido de carbono para a atmosfera.

“Se continuarmos a emitir assim desta maneira, no fim deste século teremos efeitos superiores à subida de um metro do nível do mar. É daqui a bastante tempo, mas é um processo irreversível, em centenas de anos, que pode ser mais ou menos grave”, disse ainda aquele especialista.

Durante o Congresso o Município de Sintra foi eleito vice-presidente da Organização das Cidades Património Mundial da UNESCO, cujo próximo Congresso será em Oaxaca no México

1 comentário:

luis pessoa disse...

A EDP e os governos ecologicamente anedóticos dos últimos tempos antecipam-se aos efeitos climatéricos, que já pouco efeito causarão depois do tsunami causado por eles.
Por favor, deixem a EDP e o Governo actuarem em "paz" e já não precisarão de se preocupar: quando as alterações chegarem, já nada haverá para estragar!
A bem da nação, claro!

Obrigado Pela Sua Visita !