BANCADA DIRECTA: Se te baterem numa face, esquece o insulto e oferece a outra face! Isto dizia Jesus Cristo. Agora a Igreja pratica o “Olho por olho, dente por dente”.

sábado, 12 de novembro de 2011

Se te baterem numa face, esquece o insulto e oferece a outra face! Isto dizia Jesus Cristo. Agora a Igreja pratica o “Olho por olho, dente por dente”.



Se te baterem numa face, esquece o insulto e oferece a outra face! Isto dizia Jesus Cristo. Agora a Igreja pratica o “olho por olho, dente por dente”.

Li José Rodrigues dos Santos e até prova em contrário ele cita que a doutrina de Jesus Cristo nunca foi de “olho por olho, dente por dente”. Esta expressão de “Olho por olho,dente por dente”, tenho a impressão de que estava escrita no Código de Hamurabi.

Sabe-se que foram os franceses que no princípio do século vinte, lá por terras iraquianas ou muito perto, descobriram que este principio era muito corrente e vigente. Era uma verdadeira Lei de Talião.

Relativamente aos feriados que o nosso Governo presidido pelo senhor Passos Coelho quer abolir, tanto civis como religiosos, a Igreja tomou já tomou a sua posição: um civil, um religioso, dois civis, dois religiosos. É esta a posição da Conferencia Episcopal.

Claro que esta definição contraria a doutrina que nos ensinou Jesus Cristo e que vem no Novo Testamento: Se te baterem numa face oferece a outra!

Mas o que é curioso é que podemos concluir o seguinte. O Governo está a bater-nos numa face e a Igreja bate na outra.

Se considerarmos que a maioria dos Católicos portugueses activos vão ficar prejudicados com esta abolição de quatro previsíveis feriados e se o Governo de Passos Coelho se está marimbando para os trabalhadores, também é verdade que a Igreja não se rala com os seus clientes.

Francamente

2 comentários:

dbo disse...

Não acredito que a recuperação económica do país se vá processar com a abolição dos feriados (católicos ou laicos), pois quem quer o absentismo ao trabalho continuará a marcar ausência. Mesmo os que produzirem riqueza nesses dias, vê-la-ão cair, na sua quase totalidade, nas contas dos poderosos e não no enriquecimento do país. Quem agradece são os patrões, como é lógico.
Contudo estou de acordo que feriados a mais também não têm grande interesse... e habituam muito mal as pessoas.

Adriano Ribeiro disse...

Amigo dbo
Para mim o que está em causa neste post é a atitude da Igreja, contrária aos ensinamentos de Jesus Cristo.
Mas não há qualquer duvida que a abolição de quatro feriados não vai beneficiar os trabalhadores.
Havia mais comentários a fazer sobre esta previsivel medida, mas não cabe aqui pormenorizar.
Obrigado pelo seu comment
Adriano Rui Ribeiro

Obrigado Pela Sua Visita !