BANCADA DIRECTA: Os meus flops (26). Sim senhor, agora temos um Governo de direita a sério e que se assume como tal.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Os meus flops (26). Sim senhor, agora temos um Governo de direita a sério e que se assume como tal.

Os meus flops (26). Sim senhor, agora temos um Governo de direita a sério e que se assume como tal.

Finalmente a direita a sério

À falta de qualquer outro mérito, o governo de direita de Pedro Passos Coelho tem o de acabar com alguma podridão ideológica em que o país tem vivido, com a direita armada em esquerda, a esquerda acusada de ser direita e a extrema-esquerda com ares de poder governar o capitalismo. Se as eleições mostraram a inutilidade da esquerda conservadora na hora de governar o país, tendo mesmo chegado ao ponto de fazer de vanguarda da direita na luta desta por chegar ao poder, pela primeira vez um governo de direita governa sem complexos de esquerda. Para que tudo parecesse perfeito só faltaria o PSD deixar uma designação que o transforma em travesti ideológico e adoptar uma designação compatível com os seus princípios, por exemplo, partido conservador ou aliança popular. Quando um Governo pratica uma politica que sacrifica os pobres e beneficia, pela omissão, os ricos, quando um ministro da Educação protege o ensino privado ao subsidiar turmas com uma dúzia de alunos, talvez mais um ou dois no máximo, e exige que no ensino publico as turmas tenham trinta alunos, quando um ministro da Saúde dá a entender que não é adepto convicto do SNS, quando um ministro dos Assuntos Sociais que faz da caridadezinha a sua bandeira, quando um ministro da Economia, para além de ainda não ter mostrado trabalho, mas é avesso a uma intervenção do Estado na Economia, não será preciso dizer mais nada, pois estamos em presença de um Governo de direita.
Os portugueses têm assim a feliz oportunidade de conhecer um Governo puro de direita, e não caiam na tentação de criar tumultos quando se manifestarem, pois para os reprimir não haverá mão leve.

Os Governos do PSD, quer de Sá Carneiro, quer de Durão Barroso, quer de Pinto Balsemão ou até mesmo do Santana Lopes, nunca foram de forma tão clara contra o SNS, a Escola Publica e contra os funcionários públicos. Estes políticos nunca praticaram uma política de direita com tanta visibilidade processual.

Vamos a ver até quando…..

1 comentário:

luis pessoa disse...

Concordo.
Só que é um governo de direita dura, mas que se fez eleger com base na mentira dura!

Não teve a honestidade de se apresentar com um programa que contivesse todas as medidas criminosas que agora quer e vai impôr, perante a passividade de uma população que está adormecida e incapaz de reagir.

Este primeiro-ministro negou reiteradamente que fosse aplicar as medidas que, uma vez eleito, logo atirou para cima dos cidadãos. Foi, pois, eleito na base da mentira, da aldrabice, o que num país honesto e normal já teria originado a sua queda. Mas como estamos em Portugal...

Vejam e digam se não é verdade...

http://youtu.be/gNu5BBAdQec

Obrigado Pela Sua Visita !