BANCADA DIRECTA

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Tempos de Natal. Tempos de frios, ventos e neves nas terras altas. Acendem-se as lareiras para se aquecerem os corpos e levantar os espiritos. Mas o AMOR estará sempre presente no seio das familias que se reunem para celebrar o seu Natal

Tempos de Natal.
Tempos de frios, ventos e neves nas terras altas.
Acendem-se as lareiras para se aquecerem os corpos e levantar os espiritos.
Mas o AMOR estará sempre presente no seio das familias que se reunem para celebrar o seu Natal

O amor

Escreve a Drª Magda Roma


O amor é a Lei universal. É o que se move, é o que faz ter vontade de lutar e desafiar-se todos os dias. Amor a si, amor aos seus, amor ao seu trabalho, amor aos outros. Será sempre o amor

Ame o seu pai, ame a sua mãe. Se não tiver nem mãe e nem pai, ame-os na mesma pois eles estão no seu coração. Eles estão consigo. Feche os olhos e procure-os no seu coração. Eles estarão aí logo e então ame-os de verdade.

Ame o seu trabalho. Ele é o que lhe proporciona o seu crescimento e desenvolvimento. Ele é quem lhe deu a oportunidade de conhecer outras pessoas, pessoas que lhe querem bem e que o amam também e pessoas não tão boas, que por algum motivo se cruzam na sua vida para lhe ensinar algo, nem que seja a perdoar e o perdão é AMOR

Perdoe…… O dom do perdão é o que nos eleva e nos enche o coração. No lugar do rancor semeie amor. Como se de uma flor se tratasse. Semei o amor e deixe-o crescer

Perdoe-se

Perdoe-se por não ter sido um bom filho ou filha, um bom esposo ou esposa, um bom pai ou mãe, um bom amigo ou amiga. Só quando se perdoar será possível perdoar aos outros e ter e dar amor. Olhe para dentro e sinta o que está dentro de si. Se não for amor, então reflicta, resiolva e ame
Estamos na época do ano em quwe mais se fala de amor. Aquele calor que lhe enche o coração, que faz semtir-se bem, sentir-se que é um elemento que pertence a uma familia. Costuma dizer-se que não se escolhe a familia, mas que teremos de a aceitar, no entanto, sejam quais forem os problemas no seio dessa familia.

Esses problemas devem ser resolvidos e não esquecidos nestes dias. Esta é uma quadra, mas o que semeia nesta altura deve semear também ao longo do ano. Semear o calor, a paixão, a união e o amor Falta pouco mais de uma semana para se festejar o nascimernto daquele que nasceu para nos mostrar o que é o AMOR.

Viva estes dias, experiencie alterações em si e sinta dia a dia o seu coração a ficar livre e leve no lugar de uma expressão facial triste, desiludida ou de rancor e ódio substtitua por um breve ssorriso que se mantém ao longo do dia. Sorria com a boca, sorria com os olhos, sorria com o corpo e com o coração

Bem hajam

Magda Roma
Nota de Bancada Directa: Magda Roma é licenciada em Nutrição e Engenharia Alimentar pelo Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz e pós-graduada em Saúde e Envelhecimento . A nivel de cidadã é uma pessoa muito querida das populações do Concelho de Mafra

Bom Natal para ti, Magda

domingo, 21 de dezembro de 2014

Os administradores deste blogue Bancada Directa desejam a todos os seus leitores amigos um Bom Natal extensivo a vossas familias e amigos


sábado, 20 de dezembro de 2014

Celebrar o Natal por estas terras minhotas

Nota de Bancada Directa: a Freguesia da Seara fica no Concelho de Ponte de Lima

Tempos de Natal. Tempos de chuva,ventos e frios. E há uma tendencia para uns certos abusos alimentares e que temos de ter cuidado!......São os perniciosos excessos alimentares

Tempos de Natal.
Tempos de chuva,ventos e frios.
E há uma tendencia para uns certos abusos alimentares e que temos de ter cuidado!......

São os perniciosos excessos alimentares

Escreve a Drª Magda Roma


Consumimos mais calorias do que aquelas que gastamos. Apesar de, na maioria dos casos e das vezes, termos essa consciencia, nem sempre conseguimos colocar o travão no prazer de um prato.

E é com a ingestão de alimentos em quantidades em quantidades superiores às nossas reais necessidades, um dia após o outro, que se cometem os excessos.

Se por norma desenvolver uma dieta alimentar equilibrada, não é por ter uma refeição mais copiosa num dia que irá ver um aumento de peso na balança ou o descréscimo na sua saúde.

Há que compensar nos dias seguintes e ter uma atenção redobrada quanto ao que se ingere, o que não significa passar um dia sem comer, ou apenas a ingerir liquidos Esta é uma quadra especial, a quadra da mesa cheia de doces e verdadeiras delcias gastronomicas. Entramos quase num despique entre familiares para ver quem sabe cozinhar melhor e o quê..

Mas neste Natal, eu vou-lhe dar ferramentaas para contornar a grande questão – o aumento de peso
Então não se esqueça
1- Faça gelatina: a gelatina além de ser colorida e animar a mesa, também é uma fonte de água e proteína importante para a nossa pele e articulações. Na existencia de gelatina (coloque mais do que um recipiente de gelatina na mesa) irá certamente controlar a ingestão de doces/fritos. A gelatina é fresca e não vai apetecer comer algo seco e gorduroso

2- Para os alimentos natalicios fritos, coloque um único prato na mesa e com pouca quantidade, por exemplo com cinco sonhos. O facto de os pratos estarem cheios aumenta a tendencia de comer mais quantidades, podendo aqui controlrar o consumo dos mesmos. Controla os custos na carteira e na saúde.

3- Coloque frutos secos na mesa. Do mal o menos, será certamente preferivel comer um pouco mais de nozes do que é costume do que ingerir alimentos ricos em gordura
4- O tronco de Natal. Qual é a mesa que não tem o tronco. Um bolo de chocolate em forma de tronco. Experimente fazer o seu próprio tronco de Natal, mas no lugar da farinha normal e o excesso de chocolate faça com farinha de alfarroba. Para os mais distraidos não irão sentir a diferença, e, provavelmente até lhe dirão que está extraordinario

5- O alcool também é um excesso sentido nesta quadra que, por vezes, acaba em acidentes que marcam uma vida inteira. Assim, se conduzir não beba, mas se beber siga esta regra, por cada copo de vinho beba dois de agua. Assim, além de diminuir a ingestão do vinho também irá prevenir a desidratação no seu corpo. Algo que é normalmente sentido no dia seguinte a festividades, com dores de cabeça, a chamada ressaca
6- No final da noite, divida entre os seus convidados as sobras. Assim não irá prejudicar durante mais dois dias a sua dieta. Nos dias seguintes consuma alimentos ricos em fibra, verdes e fruta. Faça refeições leves e simples. Dê uma pausa ao seu fígado, deixe-o respirar. Faça umas caminhadas para eliminar alguma energia que possa ter ficado retida nesta quadra e volte ao seu regime habitual

7- Tenha um Natal Feliz
Magda Roma
Nota de Bancada Directa: Magda Roma é licenciada em Nutrição e Engenharia Alimentar pelo Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz e pós-graduada em Saúde e Envelhecimento . A nivel de cidadã é uma pessoa muito querida das populações do Concelho de Mafra

Bom Natal para ti, Magda

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

O Teatro no Bancada Directa com a rubrica de Salvador Santos “No Palco da Saudade”. Hoje recorda-se o actor Silvestre Alegrim

O Teatro no Bancada Directa com a rubrica de Salvador Santos “No Palco da Saudade”.
Hoje recorda-se o actor Silvestre Alegrim

“No Palco da Saudade”
Texto inédito e integral de Salvador Santos (Teatro Nacional de São João. Porto)

SILVESTRE ALEGRIM
O seu nome figurou no elenco de alguns dos espectáculos mais marcantes do teatro português das primeiras quatro décadas do século XX, tendo nascido para a arte de representar ainda no século anterior, quando tinha pouco mais de dez anos de idade. Foi em Setúbal, a sua cidade natal, que ele se estreou na Companhia Teatral do Actor Chaves, na peça infantil “Intrigas do Bairro”.

O seu desempenho nesta sua estreia, onde revelou um certo e inesperado instinto natural para a comédia, justificou o convite para outras produções daquela companhia itinerante que percorria semanalmente quase todas as cidades da região setubalense. O seu destino parecia estar traçado, tal era o imenso jeito do petiz para o teatro. Mas a necessidade de ajudar a família, obrigá-lo-ia a empregar-se dois anos depois como tipógrafo, deixando para trás a paixão pelos palcos.

Silvestre Alegrim fez parte do filme "A Severa" e no qual cantou com brilhantismo "O Fado Timpanas Bolieiro"

Enquanto ia trabalhando nas oficinas onde se imprimiam os jornais Correio da Noite e O Século, e depois o matutino Diário de Notícias, Silvestre Alegrim ia alimentando o sonho de voltar aos palcos. Nos seus planos estava a frequência do curso de Arte de Representar do Conservatório, o que só conseguiu iniciar aos vinte anos, acabando por concluí-lo com mérito e distinção, arrebatando inclusive um prémio no «género comédia».

A notícia da sua prestação no exame final do curso chegou aos ouvidos do Actor Vale, que logo o convidou para a Companhia que dirigia no Teatro Ginásio, pondo-o à prova com o monólogo “O Dorminhoco” de D. João da Câmara, que, de acordo com os relatos da imprensa da época, «interpretou com grande mestria». Após esta sua estreia nos palcos profissionais, Silvestre Alegrim não mais teve interregnos no seu percurso como actor.
Foi o primeiro filme português sonoro: "A Canção de Lisboa" (1933). Silvestre Alegrim fez parte do elenco com o papel do criado surdo do salão de fados. Celebre ficou a sua frase: "Há vinte anos que sou surdo e nunca ouvi um exame assim!"

Os seus primeiros vinte anos como profissional foram vividos em exclusivo na Companhia dirigida por Actor Vale, onde representou com enormíssimo sucesso “O Pai da Pátria” de Ernesto Rodrigues e Bento Faria (em 1906) e “O Pinto Calçudo” de André Brun e Ernesto Rodrigues (em 1907), dois dos espectáculos que compunham o programa desenhado pelo Actor Vale naquela que viria a ser a sua última digressão ao Brasil.

Nesse repertório estava igualmente a comédia de costumes “O Comissário de Polícia”, uma obra-prima de Gervásio Lobato escrita em 1890, que fora uma das maiores coroas de glória do mestre Actor Vale e na qual o seu discípulo Silvestre Alegrim viria a substitui-lo no papel por si criado, após a sua morte.

Foram, aliás, inúmeras as personagens criadas por Actor Vale que o seu discípulo setubalense havia de recriar no Teatro do Ginásio. Para além dessas recriações, é convocado para dar vida a alguns papéis de pouco relevo em comédias como “A Conspiradora” de Vasco Mendonça Alves ou “A Vizinha do Lado” de André Brun, ambas protagonizadas por Lucinda Simões, sem nunca se queixar. Nessa altura, terá dito uma máxima que ainda hoje se houve nos bastidores do teatro: «Não há maus papéis; há maus e bons actores».
Silvestre Alegrim ao lado de Domingos Vital no filme "Os Fidalgos da Casa Mourisca"

E ele era realmente bom. E foi tão bom na comédia como na opereta, na revista ou na farsa, géneros onde era exemplar. Se bem que não tenha dado má conta de si no drama, como aconteceu, por exemplo, quase no final da carreira, em “Israel” de Henri Bernstein, ao lado de Alves da Cunha e Palmira Bastos.

Mas foi de facto a fazer rir que Silvestre Alegrim mais brilhou. São disso exemplo a opereta “O Chico das Pegas” de Eduardo Schwalbach, no Teatro Apolo, ou as revistas “Ao Deus Dará” e “Tiro ao Alvo” daquele mesmo autor, no Teatro da Trindade, que o confirmaram como um dos melhores actores do seu tempo no teatro musicado. As suas prestações nas revistas e operetas que se seguiram foram a verdadeira prova dos nove do seu inegável talento, absolutamente superada, nos mais diversos palcos de Lisboa.
Silvestre Alegrim e Vasco Santana. Filme "A Canção de Lisboa"

O que aconteceu sobretudo em “Arca de Noé” e “O Hotel da Barafunda, no Maria Vitória; “Retalhos e Recortes”, no Coliseu; “A Lenda dos Sete Cravos”, no Trindade; “Miss Lisboa”, no Apolo; e “De Capa e Batina”, no Politeama. Mas é o cinema que acabará por imortalizar o actor Silvestre Alegrim, com a sua criação de Timpanas, no nosso primeiro filme sonoro “A Severa”, cujo êxito levou Félix Bermudes a escrever uma opereta a que o nome daquela personagem.

Do seu trabalho no cinema, recordamos ainda os seus papéis em “Varanda dos Rouxinóis”, “A Menina da Rádio”, “A Vizinha do Lado” ou “Os Fidalgos da Casa Mourisca”, assim como o seu Criado de “A Canção de Lisboa”, o Mordomo de “A Rosa do Adro” ou o Meirinho de “Amor de Perdição”, que levaram os espectadores a gritar «Olh’ó Alegrim!», no escuro da sala, sempre que o actor aparecia na tela, de tal maneira ele era popular e querido.

Cartaz do filme "A Severa" com o elenco descriminado

Na parte final da sua carreira, Silvestre Alegrim integrou o elenco da Companhia Os Comediantes de Lisboa, no Teatro da Trindade, onde interpretou as peças “Não o Levarás Contigo” de Moss Hart e Kaufmann e “O Jogo das Escondidas” de Rui Correia Leite.

Entretanto, em 1945, faz uma derradeira visita à sua velha casa de origem – o Teatro Ginásio – em “A Ditadora” de Xavier de Magalhães e Fernando Ávila, com a Companhia de Maria Matos. É, aliás, sob a batuta desta grande Senhora da Comédia que pisa o palco pela última vez, em “A Madrinha de Charley” de Brandon Thomas.

Um ano depois, a 16 de outubro de 1946, o actor morre, em Lisboa, com apenas 55 anos.

Salvador Santos
Teatro Nacional de São João. Porto
Porto. 2014. Dezembro. 17

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Temas de Medicina no Bancada Directa. Continuamos a falar neste tempo de Inverno de gripes e dos cuidados a ter com a doença. Post adicional ao anterior sobre o mesmo tema de saúde.

Temas de Medicina no Bancada Directa.
Continuamos a falar neste tempo de Inverno de gripes e dos cuidados a ter com a doença.
Post adicional ao anterior sobre o mesmo tema da saúde.

No post anterior tínhamos ficado por aqui…. E agora continuamos
Vacinação é preciso!
Em relação à gripe, como em qualquer outra doença, a prevenção é o melhor reméddio. O que passa pela adopção de cuidados simples, mas também pela vacinação De prescrição médica obrigatória a vacina antigripal tem uma elevada taxa de eficácia: na maioria dos casos evita a doença ou, pelo menos, reduz a intensidade dos sintomas

A quem é recomendada a vacina antigripal?
Qualquer pessoa se pode vacinar, mas há grupos aos quais a vacina é mais recomendada: é assim com os idosos, sobretudo se vivem em lares e com os doentes crónicos ou outras pessoas cujo sistema imunitário esteja debilitado. Aos profissionais de saúde, pelo contacto com os doentes, também é aconselhada. A única contraindicação são pessoa alérgicas à proteína do ovo, pois é um dos constituintes da vacina, feita a partir do vírus “influenza” inactivado.

Idealmente, é antes da época gripal que a vacina deve ser tomada, ou seja, em Setembro ou Outubro. É que os anticorpos recebidos precisam de duas semanas para, digamos assim, se prepararem para combater a infecção. A vacina é gratuita para quem tem mais de 65 anos de idade e não requer receita médica, podendo ser administrada no Centro de Saúde.

A vacina deve ser repetida no ano seguinte, pois a imunidadde só se mantém por nove a doze meses, dada a elevada mutação do vírus
Um risco muito importante: o perigo de se apanhar uma pneumonia
A pneumonia é uma infecção respiratória como a constipação ou a gripe, mas tanto pode ser causada por um vírus como por bactérias e mais raramente por fungos.
O que acontece é que em situações em que o organismo se encontra debilbitado, os agentes infecciosos conseguem passar os filtros naturais do corpo, como os cilios nasais, abrindo caminho até aos pulmões. Aqui instalam-se nos alvéolos pulmonares, que são como que uns pequenos sacos de ar e onde são alvo da acção dos glóbulos brancos do sangue

Mas nem sempre esta defesa é eficaz, desencandeando-se então os primeiros sintomas de infecção.
São sintomas que a pneumonia partilha com a gripe, mas que são mais graves: febre elevada, suores, arrepios e tosse, acompanhados de fadiga, dores musculares e de cabeça. Mas à medida que a infecção avança juntam-se outros sintomas, como a produção de muco, a dificuldade respiratóeria e a dor no peito. Os primeiros sinais de doença podem confundir-se com os da constipação e da gripe.
Se persistirem há que necessariamente consultar-se um médico. Se não for tratada a tempo, a pneumonia pode complicar-se: a infecção pode, por exemplo, alastrar para a corrente sanguinea e generalizar-se O tratamento depende da causa da pneumonia: quando é viral, envolve a toma de medicamentos antivíricos e cuidados como repouso e ingestão abundante de liquidos; se for fungica, passa pela toma de antifungicos e só se tiver origem bacteriana é que implica a toma de antibioticos.

Trata-se geralmente em casa e apenas nos casos de compromisso de dificuldade respiratoria é que requer internamento hospitalar. O melhor é sempre prevenir, zelando pela saúde dos seus pulmões

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Tempos de Natal. Tempos de chuvas, frios e neves nas terras altas. Acendem-se as lareiras para se aquecerem os corpos e levantar os espiritos. Mas por favor não chamem ao nosso Povo um “povinho estupidamente manso”. É feio e é gozar com aqueles que sofrem com esta austeridade demoníaca. Não culpem a esquerda pelas más decisões destes governantes.

Tempos de Natal.

Tempos de chuvas, frios e neves nas terras altas.
Acendem-se as lareiras para se aquecerem os corpos e levantar os espiritos.
Mas por favor não chamem ao nosso Povo um “povinho estupidamente manso”.
É feio e é gozar com aqueles que sofrem com esta austeridade demoníaca.
Não culpem a esquerda pelas más decisões destes governantes.

............Olinda, vivi quase a minha vida toda repartida entre a aldeia, cidades grandes e cidades pequenas.

Por todo o lado ouvi o povo com ouvidos de ouvir e olhos de ver. Distingui sempre a miséria mais miserável, daqueles que nunca tiveram vez nem voz.
Quando falo do “povinho estupidamente manso” deixo de fora, naturalmente, a miséria miserável que vai dos sem-abrigo aos que sobrevivem lutando pelo pão-à-mesa para esse dia. O povinho estupidamente manso a que me refiro ‘e a classe dos “taxistas”.

Aquela mole imensa de gente que frequenta as catedrais do futebol, da fé e da música e escuta religiosamente as homilias do professor Marcelo, especialista, entre muitos, na formatação do povo estupidamente manso. Olinda, demagogicamente enaltece-se o povo, e nisso a esquerda radical é um portento, para lhe captar o voto.
Os demagogos de esquerda dizem maravilhas do povo, o mesmo povo que a seguir, devidamente catequizado, elege Cavaco, Passos Coelho e Portas.

Olha, Olinda, aqui chegado, já nem sei quem é mais estupidamente manso: se o povo, se a esquerda que o bajula na esperança de lhe captar o voto para o tacho no Parlamento..........

Texto retirado do blogue “aspirina b”
Simplesmente lamentável

Obrigado Pela Sua Visita !