BANCADA DIRECTA

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Não enganem as criancinhas que os paizinhos vestem com roupa de cor laranja. Depois da Festa do Pontal de braço dado com o CDS.PP, os laranjinhas voltam a ter uma Universidade de Verão em que vão juntar cem alunos que vão receber ensinamentos de ministros, ex-ministros, deputados e outras figuras alaranjadas. Nada de convidar figuras do PS.

Não enganem as criancinhas que os paizinhos vestem com roupa de cor laranja. 
Depois da Festa do Pontal de braço dado com o CDS.PP, os laranjinhas voltam a ter uma Universidade de Verão em que vão juntar cem alunos que vão receber ensinamentos de ministros, ex-ministros, deputados e outras figuras alaranjadas. 
Nada de convidar figuras do PS. . 

 Não enganem as criancinhas 

O PSD reuniu as suas criancinhas em mais uma encenação a que designam pomposamente universidade, cujo reitor lá aparece na mesa com ar informal, uma espécia de quota cor ar de pintas. Em tempo de eleições ficaram de fora os candidatos presidenciais ou presidenciáveis do PSD e evitaram exibir personalidades de outros quadrantes como peças de caça cozinhadas em ambiente gourmet.

Lá aparece a costumeira Maria Luís Albuquerque que aproveita estas iniciativas para dar ares de professora de política económica, talvez porque isso lhe recorda os tempos em que era ela que ensinava outro iletrado, por sinal o agora primeiro-ministro. Tendo em consideração o ambiente e o nível dos alunos era uma oportunidade para brilhar e o PSD ficaria a ganhar, os putos sempre aprendiam alguma coisa. 
Mas parece que em vez de ensinar algo de útil a ministra optou pelas sua larachas do costume, só que neste caso foi mais longe e em vez de bons valores transmitiu maus valores. O que será o futuro político destes putos quando uma ministra das Finanças vai falar-lhe do programa eleitoral da oposição e diz uma verdadeira alarvidade, diz cobras e lagartos do programa mas admite que não o leu todo. 

De uma ministra esperar-se-ia mais rigor e seriedades. Mas a alarvidades não se ficaram pelas senhora da Estação Sul Sueste, outro alarve a estar presente foi um tal Durão Barroso, um senhor que fugiu de Portugal em busca da sua zona de conforto, fugindo a tempo de evitar crises piores do que a austeridade adoptada para corrigir o défice que deixou. 

Este senhor descobriu agora que a culpa da crise não foi dos governos do PS e muito menos dos nossos abusos consumistas: “A crise do euro é uma expressão curiosa, sugere que o euro está no centro da crise. Mas não é verdade, o que esteve em crise não foi o euro, o euro manteve-se sempre como moeda estável e sólida. 
A crise nasceu nos EUA, e o detonador foi a falência do Lehman Brothers, a crise do subprime, o crédito excessivo dado a quem não tinha como pagar”, Como ninguém espera que Durão Barros tenha aderido às teses da esquerda portuguesa esta conclusão só pode uma explicação, Durão Barroso voltou a ser propriedade do DDT e repetiu a intervenção de Ricardo Salgado na comissão parlamentar de inquérito ao BES. 

Com professores temos motivos para ficarmos seriamente preocupados com os nós cegos que estão dando nas cabecinhas frágeis daquelas criancinhas.

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Nunca em eleições anteriores se prometeu tanto, mas navegando em ondas de "ses", "ses", "ses". Quando a falta de decoro e ética politica se instalou nas nossas vidas. Só para nos prejudicar.......

Nunca em eleições anteriores se prometeu tanto, mas navegando em ondas de "ses", "ses", "ses". Quando a falta de decoro e ética politica se instalou nas nossas vidas. Só para nos prejudicar.......


O reembolso da sobretaxa

O governo Português foi o primeiro a adoptar medidas de política económica com efeitos retroactivos o que, no mínimo, é um absurdo, algo que não deve ser motivo de admiração pois nas Finanças está alguém com parcos conhecimentos de política económica, o que, entre outras coisas a senhora prefira fazer discursos para os pirralhos de Castelo de Vide do que discutir as políticas que adopta com políticos crescidinhos da oposição.

 A sobretaxa é uma manifestação de incompetência, num quadro recessivo em que qualquer estímulo à actividade económica ou uma redução das medidas restritivas era desejável, o governo decidiu manter a austeridade com a promessa de que se esta tivesse sido excessiva o governo saído de futuras eleições procederia à devolução da sobretaxa já depois da receita desta ter sido gasta em 2015 muito provavelmente em medidas eleitoralistas.
Para criar a ilusão de sucesso na cobrança de impostos empola-se a retenção de tudo o que seja reembolsos iludindo os cidadãos pois passadas as eleições será reposta a normalidade fiscal e as receitas fiscais serão corrigidas em baixa, mas nessa ocasião os portugueses já terão sido levados ao engano com a preciosa colaboração dos muitos jornalistas sem escrúpulos dos nossos jornais e televisões.

Só em Maio de 2016, depois de encerradas as contas de 2015 e após a entrega da declaração de rendimentos e da consequente liquidação do IRS os contribuintes saberão se vai haver algum reembolso do excesso de impostos pago em 2015 a título de sobretaxa Isto significa que tudo o que agora se diz sobre reembolso da sobretaxa não passa de manipulações alimentadas por um secretário de Estado que anda a ajeitar a receita fiscal com truques manhosos e que são condenáveis.

Um dos truques de que ainda não se falou é a adopção de taxas exageradas de retenção na fonte do IRS e de que têm resultado reembolsos exagerados no IRS. A aplicação de taxas exageradas de retenção na fonte do IRS, decididas no segredo do gabinete do Núncio Fiscoólico e publicadas por mera portaria tem funcionado como uma verdadeira sobretaxa. Basta um aumento das taxas de retenção na fonte do IRS para que as receitas fiscais sejam empoladas e fiquem acima do previsto.
O problema é que em 2016 estes montantes terão de ser reembolsados e deduzidos do suposto excedente de receitas fiscais, o mesmo sucedendo com os reembolsos não processados. Esperemos que Paulo Portas, Paulo Núncio e Maria Luís Albuquerque andem pelo país em Maio de 2016 pois terão de vir explicar aos portugueses a fraude que montaram numa jogada manhosa para ganhar votos.

Nunca na história do ministério das Finanças foi montada uma mentira de tão grande dimensão.

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Claro que o Governo anda a ignorar esta luta dos policias, que se prevê possa causar moléstias às pretensões eleitorais, mas estamos convencidos, que mais ou menos decoro e vergonha o Governo dá volta à situação e pode contar com o apoio das forças de segurança. E não seria a primeira vez


Claro que o Governo anda a ignorar esta luta dos policias, que se prevê possa causar moléstias às pretensões eleitorais, mas estamos convencidos, que mais ou menos decoro e vergonha o Governo dá volta à situação e pode contar com o apoio das forças de segurança. E não seria a primeira vez

 A medida de protesto, diz a Associação Sindical dos Profissionais da Polícia, vai deixar os cofres do Estado com menos alguns milhões de euros. Esta segunda-feira foi o primeiro dia de contestação e os polícias que puderam levaram o apelo à prática

A medida de protesto, diz a Associação Sindical dos Profissionais da Polícia, vai deixar os cofres do Estado com menos alguns milhões de euros. Esta segunda-feira foi o primeiro dia de contestação e os polícias que puderam levaram o apelo à prática

 O protesto dos polícias que consiste em evitar passar multas começou esta segunda-feira com uma “forte adesão”, disse à Lusa o dirigente de uma das associações envolvidas, sem contudo avançar com números.

 Paulo Rodrigues, dirigente da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP/PSP), explicou à Lusa que não sendo possível traduzir em números, a informação que chegou de todos as secretarias nacionais (em todos os comandos do país) foi a de que a adesão foi muito grande. A ideia da ação de protesto, chamada de “100% Prevenção” foi “muito bem aceite” pelos polícias, que a consideraram “oportuna e que permite a participação de cada um”.
E esta segunda-feira os que puderam levaram o apelo à prática, disse Paulo Rodrigues. Com esta medida, de um mês, os polícias vão abster-se de passar multas, o que deixará os cofres do Estado com menos alguns milhões de euros.

Além dela, os polícias, convocados pela ASPP/PSP mas também pelo Sindicato dos Profissionais da Polícia (SPP/PSP), Sindicato Independente dos Agentes da Polícia (SIAP) e Sindicato Vertical de Carreiras da Polícia (SVCP), têm agendadas para setembro várias manifestações por todo o país, não excluindo o responsável que se faça uma grande manifestação nacional.

Na base destes protestos está a não aprovação pelo Governo das alterações ao estatuto profissional, que já foram discutidas e aprovadas entre as associações e a ministra da Administração Interna. Anabela Rodrigues já disse que o processo estará terminado até ao fim do mês, pelo que deverá ser aprovado no próximo Conselho de Ministros, o último de agosto.

"Espero que seja aprovado a 27, e se for cancelamos as ações", disse Paulo Rodrigues. Mas acrescentou: "O processo começou há quatro anos, em fevereiro começámos a negociação efetiva e todo o processo terminou em meados de junho, quando nos foi garantido que seria aprovado em julho".

Conta o responsável que depois se esperou que fosse aprovado a 13 de agosto, o que também não aconteceu, pelo que os polícias marcaram as ações que agora começam, muitas delas em plena campanha eleitoral para as eleições de outubro. É que já a partir da próxima semana vão começar a surgir protestos, todas as semanas e até ao fim do mês, que podem ser manifestações, vigílias ou outro tipo de iniciativa. Paulo Rodrigues não volta as costas a uma "grande manifestação".
Quatro associações socioprofissionais da GNR, por motivos idênticos, anunciaram hoje manifestações ao longo do próximo mês, que terminarão com uma grande manifestação nacional no último dia de campanha eleitoral, a 02 de Outubro. Paulo Rodrigues diz que não foram discutidas manifestações em conjunto, mas não nega que possam acontecer.

sábado, 22 de agosto de 2015

Ainda os ecos da festa do Pontal em que a direita confirmou o casamento dos lideres da sua Coligação. Só resta saber quem vestiu a saia rodada para apimentar a chegada do seu amor?



Vesti a saia rodada 
P'r' apimentar a chegada
Do meu amor 
No mural postei as bodas 
Rezei nas capelas todas 
Pelo meu amor 

Vem lá de longe da cidade e tem 
Os olhos rasos de saudade em mim 
E eu mando-lhe beijos e recados em retratos meus 

Pensa em casar no fim do verão que vem 
Antes pudesse o verão não mais ter fim 
Que eu estou tão nervosa com esta coisa do casar Meu Deus 

Vesti a saia rodada 
P'r' apimentar a chegada
Do meu amor 
No mural postei as bodas 
Rezei nas capelas todas 
Pelo meu amor 

Por tantas vezes pensei eu também 
Sair daqui atrás dos braços seus 
De cabeça ao vento e a duvidar o que faz ele por lá 
São os ciúmes que a saudade tem 
E se aos ciúmes eu já disse adeus 
Hoje mato inteiras as saudades que o rapaz me dá  

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Esta Europa que anda muito longe de nos satisfazer agradavelmente. O nosso cronista Dom Payo Peres Correia diz de sua justiça e anda muito aborrecido com o que vê à sua volta.

Esta Europa que anda muito longe de nos satisfazer agradavelmente.
O nosso cronista Dom Payo Peres Correia diz de sua justiça e anda muito aborrecido com o que vê à sua volta.


ACHO QUE A POLITICA ESTÁ A ABORRECER O PESSOAL

 A situação actual dos países europeus está a deteriorar-se. Esta Europa que se orgulhava de possuir uma indústria capaz de dar trabalho à maioria dos trabalhadores. Digo trabalhadores de todos os escalões. Aqueles que vendiam a mão-de-obra aos que vendiam a investigação, o conhecimento.

 Esta Europa já praticamente não existe, porque a globalização acabou com ela. Hoje fazem-se as coisas longe da Europa utilizando a mão-de-obra e até a investigação nos países que pagam menos pelo mesmo. Se você quiser ter uma ideia mais perfeita vá a um grande armazém multinacional e veja onde foram fabricados os artigos.

Vá ao IKEA e encontra as loiças da Turquia, os tecidos da India, as cadeiras da China – tudo é feito fora da Europa. Veja onde são fabricados os televisores os telemóveis, os relógios, os telefones, os pequenos eletrodomésticos, as máquinas fotográficas, tudo.

 Com esta política seguida pelas “cabecinhas pensadoras “ que estão a dirigir os destinos da Europa, de certeza que estamos a cavar a nossa própria sepultura, sem se dar por isso. Grandes intelectuais como é (foi) o mestre Durão Barroso ou o equilibrista Junker,só para dar dois exemplos, levarão esta Europa ao desastre.

 Com o apagar das democracias e a entrega dos destinos destes povos a pessoas com uma capacidade de visão algo deteriorada, não me admira que um dia destes as pessoas se cansem de serem usadas e acabem dando fogo às instituições que não representam coisa nenhuma a não ser os interesses da finança mundial.
Querem melhor exemplo que o da Grécia e da Alemanha? Talvez vocês nem saibam mas quem está a ganhar com os empréstimos é a Alemanha e quem vai para o buraco é a Grécia. Chegaram ao ponto de emprestar dinheiro para que os juros lhes sejam pagos e depois vão-lhes comprar a preço da uva mijona tudo o que dê lucro.

 Aliás como se fez cá na terra. Tudo o que dava lucro foi vendido. Até o oceanário! E se o pessoal continua a achar bem…e a votar neles, acontece que ficaremos escravos dos que o Hitler achava ser o povo eleito.

 E depois digam que não vos avisei.

Ass) Dom Payo Peres Correia
Algures por aí em 2015. Agosto. 20

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Todos aqueles que se quiserem divertir aproveitem este cartaz

Sejam criativos

Criem frases tais como esta: "este é o maior mentiroso que tudo promete e nada dá. Antes pelo contrário"!

Obrigado Pela Sua Visita !