BANCADA DIRECTA

sábado, 4 de julho de 2015

A modalidade "SURF" no Bancada Directa, apresentando as 10 melhores ondas do Mundo. E como não podia deixar de ser lá está a onda da Nazaré em 4º lugar.



Para homens de barba rija

Portugal é um país seguro? Segurissimo!.....70.000 Euros em notas de 500 guardados na sua residência para que seriam? Dá mesmo a impressão de que estamos em presença de um saco azul.


Saco azul? Ou uma açorda de marisco bem temperada.....

 «Antero Henrique foi constituído arguido por suspeitas de espionagem a atletas do FC Porto. O vice-presidente do clube servia-se da SPDE, empresa de segurança no centro da investigação desta quinta-feira, para vigiar ilegalmente os futebolistas, avança o Correio da Manhã.

 O jornal adianta que existem “milhares de horas de escutas telefónicas aos suspeitos, tendo sido transcritas várias conversas entre Antero Henrique e Eduardo Silva, dono da SPDE.” No âmbito das buscas – relacionadas com a Operação Fénix e realizadas esta quinta-feira na sua casa – a PSP apreendeu 70 mil euros em notas de 500, e Antero Henrique foi constituído arguido.

A sede da SPDE também foi um dos alvos da operação, depois de Eduardo Silva ter sido detido.»

Uma verdade tem de ser esclarecida e rapidamente: o dinheiro de algum lado veio e para algum lado iria

Isto é que anda para aqui uma açorda de marisco.

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Grecia: um país em crise! Nas ruas de Atenas enquanto esperam pelo referendo os reformados desesperam. Ainda não se dança o Zorba nas praças das cidades gregas.



A comunidade grega residente no Canadá em 2011 dançava a musica de Zorba na praça do Mercado de Byward em Otava. Foi durante o Otawwa Greek Festival

Oxalá na próxima segunda feira possamos vê-los a dançar o Zorba em toda a Grecia.

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Dia 1 de Abril. Vai ser novo Feriado Nacional. Comemora-se o dia das mentiras e dos mentirosos tal como é este senhor aqui.



As minhas homenagens ao nosso primeiro ministro pela homenagem que lhes prestaram integrando-o como um bom exemplo deste "Dia das Mentiras".

Hoje é dia 2 de Julho. Faltam 204 dias para que Cavaco nos deixe em paz. Que venha depressa o 23 de Janeiro de 2016

Agora até me assustei. Com estas lentes até me pareceu que o 23 de Janeiro era já manhã

Não, não quero ir embora

Sinto-me tão bem com o conforto que dou a este Governo

Vinde, vinde, oh crianças da minha terra...Nesta altura podem contar comigo...Até aqui nunca tinha passado cartão aos jovens lampiões que precisavam do meu apoio. Mas agora vou reverter a situação, não vá o tipo fazer comigo o que fez ao Marco...

Vinde, vinde até mim, oh crianças da minha terra...Nesta altura podem contar comigo...Até aqui nunca tinha passado cartão aos jovens lampiões que precisavam do meu apoio. Mas agora vou reverter a situação, não vá o tipo fazer comigo o que fez ao Marco...

Como se pode ver a preferência e aposta de Jesus nos Jovens não é de agora, da fase que inicia com o regresso à sua casa que também era a do Virgolino, Jesus já dizia para irem a ele as criancinhas desde há cerca de 2000. anos. A promessa está feita, ao contrário do que sucedeu com os putos do Seixal os meninos de Alcochete entrarão no Reino dos Céus da equipa principal.

«Então lhe trouxeram alguns meninos, para que lhes impusesse as mãos e orasse por eles; e os discípulos repreenderam aos que os trouxeram. Jesus, porém, disse: Deixai os meninos, e não os impeçais de virem a mim; porque dos tais é o reino dos céus.» (Mateus 19:13-14) . Evangelho segundo São Mateus
«Naquela hora chegaram-se os discípulos a Jesus e perguntaram: Quem é, porventura, o maior no reino dos céus? Jesus, chamando para junto de si um menino, pô-lo no meio deles e disse: Em verdade vos digo que se não vos converterdes e não vos fizerdes como meninos, de modo algum entrareis no reino dos céus. Quem, pois, se tornar humilde como este menino, esse será o maior no reino dos céus. 

Aquele que receber um menino, tal como este, em meu nome, a mim é que recebe; mas quem puser uma pedra de tropeço no caminho de um destes pequeninos que crêem em mim, melhor seria que se lhe pendurasse ao pescoço uma grande pedra de moinho, e que fosse lançado no fundo do mar.» (Mateus 18:1-6)  Evangelho segundo São Mateus

Que sejas muito feliz na tua nova casa. Tu até nem tens muita culpa dos dislates do teu novo patrão.

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Parvoíces ou o gosto de serem parvos a contento de interesses viviseis a olho nu


 Parvoíces ou o  gosto de serem parvos a contento de interesses viviseis a olho nu

Só um maluco é que acredita na tanga de Sócrates acerca da sua prisão ter como finalidade prejudicar o PS nas legislativas. Pode lá ser! Então, duas das mais prestigiadas figuras da Justiça portuguesa, os excelsos Rosário Teixeira e Carlos Alexandre, iriam arriscar as suas brilhantes carreiras metendo-se numa aventura dessas?

É um cenário inconcebível. Ninguém no seu perfeito juízo perde um segundo com essa fantasia, para mais vinda de tão desesperada e vil personagem. Se acreditássemos nisso, de seguida estaríamos a acreditar que um procurador e um juiz, algures entre Lisboa e o Porto, decidiam espiar um amigo de um primeiro-ministro, na certeza de que os dois mantinham comunicações privadas.
Depois, acreditaríamos que esse procurador e esse juiz decidiam não solicitar a devida autorização legal para espiarem o primeiro-ministro. E ainda acreditaríamos que esse procurador e esse juiz resolviam tentar constituir como arguido o primeiro-ministro que tinham espiado a meses de umas eleições legislativas e autárquicas. Por fim, teríamos de conseguir imaginar que esse procurador e esse juiz tinham tido a ousadia de levar avante esse plano apesar de não constar nas captações nada que fosse passível de configurar actos ilícitos.

Ou então, a acreditarmos nisso de Sócrates estar preso só para prejudicar o PS, então também temos de acreditar que um Presidente da República, a semanas de umas eleições legislativas, resolva usar um jornal para lançar a suspeição de que o Governo de então usa os serviços secretos, ou técnicas desses serviços secretos, para espiar a Presidência. Obviamente, esta hipótese é tão rocambolesca que nem para má literatura serve. Ninguém no seu perfeito juízo está disposto a conferir a mínima verosimilhança a parvoeiras deste calibre.
Aliás, as pessoas que conservam o seu perfeito juízo o que mais desejam é que o PS se mantenha alheado do que se passa na Justiça. Para tratar dos assuntos da Justiça já existe muita gente, e gente séria, credível, honesta.

Quer dizer, ninguém no seu perfeito juízo acha que algo similar alguma vez aconteceu ou virá a acontecer em Portugal.

Que seria deste país sem todos aqueles, tantos, que estão no seu perfeito juízo.

terça-feira, 30 de junho de 2015

Gambas panadas. Um petisco delicioso. Mas para o fisco é altamente sugestivo penhorar estes animais já empacotados em farinha e azeite






Umas “gambas panadas com molho de laranja à parte”, uma “salada verde (alface e chicória)”, um “bacalhau com espinafres gratinado”, um “cheesecake com coulis de frutos vermelhos”, “pãezinhos (couvert incluído)”, um “empregado de mesa (pack ‘almoços corporate’)” e uma “entrega dentro de Lisboa” foram penhorados pelo Serviço de Finanças de Viana do Castelo.

Sim, leu bem, nem o empregado do restaurante, que forneceu a refeição a uma empresa de Lisboa escapa à notificação de penhora datada de 16 de Junho passado. Em causa estará o valor do serviço prestado pelo empregado de mesa (€65), mas não deixa de ser mais um caso, juntamente com os alimentos em causa, que soma ao rol de penhoras inusitadas.
E que ocorre já depois das medidas tomadas pela Secretaria de Estado dos Assuntos Fiscais, em Abril, para evitar este tipo de situações. Mais. O almoço em causa, no valor total de €192,82 (a salada e os pãezinhos foram de graça, mas constam à mesma da penhora embora com valor zero), foi servido quase quatro meses antes da penhora, a 25 de Fevereiro.

Em causa estará uma dívida do restaurante às Finanças que cruzada com a guia de transporte electrónica gerou a caricata ordem de penhora. Na notificação, a Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) indica à instituição que usufruiu da refeição que “deverá considerar penhorados, à ordem deste Serviço de Finanças, os bens identificados no documento de transporte (...) para pagamento da dívida exequenda (...) no âmbito do processo de execução fiscal”.
A instituição ficou também a saber que foi nomeada “fiel depositária” dos alimentos consumidos quatro meses antes, bem como do empregado e do serviço de entrega. E que tem cinco dias úteis para informar o Fisco sobre a “eventual inexistência, total ou parcial, dos bens penhorados”. Automatismos embaraçam Com as guias electrónicas, as Finanças passaram a cruzar os dados dos bens transportados com os processos de execução fiscal em curso e, assim, a actuar com mais eficiência no sentido de recuperar os impostos em falta através da penhora de bens ou de créditos futuros dos devedores.

Porém, o sistema automático, cego, criou embaraços à máquina fiscal, com penhoras sucessivas de alimentos, por exemplo. Houve até casos de confisco de alimentos doados a instituições de solidariedade social. Em Abril, o Governo pôs freio a estes automatismos. No caso dos bens perecíveis, foram suspensas as penhoras de alimentos que constam nas guias de transporte electrónicas quando o destinatário são pessoas singulares ou Instituições Particulares de Solidariedade Social (não é o caso da organização que recebeu esta notificação em Lisboa, vinda do Fisco de Viana do Castelo), deixando as guias de transporte de ser utilizadas para a cobrança coerciva.
 A Secretaria de Estado dos Assuntos Fiscais adianta que o mesmo procedimento está a ser alargado a mais situações, “designadamente quando estão em causa outras entidades”. A mesma fonte oficial sustenta que, fruto das medidas tomadas, estes casos “são cada vez menos frequentes (ou praticamente inexistentes) e quando são detectados são dadas instruções para serem corrigidos”. 

É ainda enfatizado que a reforma dos documentos de transporte tem sido muito eficaz na prevenção e detecção de fraude e evasão fiscal nas transacções entre empresas e “uma das principais razões do bom desempenho da receita do IVA neste ano (crescimento de 9,2% até Abril)”.

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Para onde vais Europa e qual vai ser o teu caminho onde já se perdeu a esperança de se viver um pouco melhor....



Quo vadis, UE?

Não há qualquer união monetária duradoura sem união política e a UE foi incapaz de a concretizar, mobilizando os povos europeus que a integram.

 Insistir no cumprimento da promessa de pagamento de dívidas que credores e devedores sabem não ser possível liquidar, é um ato de terrorismo financeiro destinado a alterar a vontade política dos povos submetidos à tirania da dívida.

E que sentido faz assinar um compromisso impossível de honrar? Ainda não terminaram as ondas de choque da falência do banco Lehman Brothers nem o risco sistémico do sistema financeiro mundial e já o caso grego ameaça tornar inúteis os paliativos que burocratas inventaram, repartindo sacrifícios por economias débeis e com mais dificuldade em resistirem à chantagem.

 Penso que a convocação do referendo grego foi a única saída honesta para quem, sob a ameaça da guilhotina financeira, pergunta se quer morrer combatendo ou morrer sem luta. Não se percebe a alergia dos burocratas, sem qualquer legitimidade democrática, à consulta referendária. A União Europeia prefere morrer com a Grécia a deixá-la viver.

A sentença antecedeu as alegações do condenado.

Obrigado Pela Sua Visita !